UM ABSURDO DE VIOLÊNCIA

(Prof. Porfírio Jesus das Neves, RJ)

 

No mundo existe tudo, só não existem três coisas: paz, saúde e sossego.

Existe de tudo no mundo e o principal não existe. Por quê?

Porque toda a humanidade estava sendo lapidada, e ainda está.

E neste processo de lapidação ninguém podia ter paz, nem sossego, nem saúde. Lapidação quer dizer aprimoramento através de uma “bela cossa”. E, por isso todos estão sendo acossados por estas tragédias na vida humana.

Está aí a vida com duas faces: a face do aprimoramento dentro do encanto e a face da solução dentro do desencanto.

A face do encanto é todos vivendo sem se conhecer, buscando se aprimorar, sem saber aonde tudo isso vai parar; sem saber de onde vem e sem saber para onde vai; sabe apenas que é provisório e passageiro. Vendo e sentindo que o saber acumulado não é suficiente para libertar ninguém do sofrimento e da morte. E é justamente no sofrimento e na morte que reside a maior lapidação de todos – e isso, é o que não falta neste mundo encantado.

Assim, ninguém tem paz, nem sossego, nem saúde, por todos viverem dentro do encanto; encantados pelas idéias de quem não se conhece e que nunca podia dar solução desses mistérios que assolam a existência humana. E ainda por cima vivendo na esperança de um salvador que venha lhe trazer a salvação. Tudo aí está em densos mistérios, para os encantados se lapidarem.

E aí está no mundo todo, a colheita dos encantados: esse absurdo de violência.

Temos sempre que compreender e esclarecer que tudo isso foi preciso e necessário assim ser, com a finalidade de eliminar a rudez e o atraso das idéias mal formadas, historicamente, acerca de nós mesmos.

A humanidade, na condição de Animal Racional pensador sofredor e mortal, tinha mesmo que assim ser: encantada, pela procedência e circunstâncias e sua origem dentro do campo de vida material. Tudo e todos que nasceram na matéria são imperfeitos, por a matéria ser um ser irregular, em constantes transformações.

Mas, nem tudo está perdido, apesar de estar ocorrendo perdas de vidas preciosas, vidas inocentes; estas perdas trazem um forte significado para o saber humano, o que não é suficiente para impedir futuras desgraças; fica tudo mesmo na sensibilização à espera de uma solução.

As transformações dentro da matéria têm um propósito real e positivo. Tomemos como exemplo os cabelos brancos que indicam o avanço da idade e da velhice, isto pelo aspecto de quem não se conhece; já pelo aspecto de quem se conhece os mesmos cabelos brancos anunciam a paz eterna que chegará um dia. Olha como tudo se transforma: o seu cabelo que era pretinho se transformou em branco anunciando a paz.

As duas visões: o encantado e a velhice e o desencantado vê a paz nos cabelos brancos. A realidade não é triste, triste é não saber encarar a realidade.

Como podemos constatar na vida, sempre existem duas formas de encarar a realidade:

uma é pela forma de quem não se conhece, forma do encantado e a outra é através do desencanto. Parecem duas formas conflitantes, em constante oposição; mas, na realidade, estas duas maneiras de ver a vida se complementam e se justificam num equilíbrio perfeito em todas as coisas – este, naturalmente, é o ponto de vista do desencanto.

É realmente fantástico quando alcançamos este posto de luz. Luz pode ser entendida como sendo o saber acumulado, nas lapidações desta vida, combinado com o verdadeiro saber eterno que nos é revelado pelo desencanto universal. Lembrando que desencanto quer dizer solução – desencantou, encontrou a solução universal.

O saber eterno, ou as coisas divinas, que os encantados conheciam serviam apenas para manter todos encantados, aparentemente no caminho certo, mas sempre sem dar solução de nada. O saber eterno que precisamos conhecer agora na fase do terceiro milênio está no UNIVERSO EM DESENCANTO. Está aí a recuperação dos frutos da Árvore do “Conhecimento da Vida” com toda a simplicidade e naturalidade.

Analisem os fatos da vida contemporânea, esses mesmos que estão ocorrendo aqui e ali, fatos que realçam estes absurdos de violência e que indicam para uns uma perversão total dos valores humanos, um verdadeiro fim do mundo e, para outros, trazem a confirmação inequívoca de que não estamos sozinhos nessa desgraça. Tanto pelo lado mal como pelo lado da solução.

Pelo lado mal, não estamos sozinhos nesta desgraça de vida material encantada, haja visto as ações de violência, que vêm acontecendo progressivamente – é só acompanhar os noticiários!

Estas ações revelam em si um quadro trágico de extrema perversidade humana, mas também servem para constatar que há uma solução.

Primeiro, analisemos algumas características do agente que pratica atos de violência: ele não está sozinho porque vem acompanhado de toda uma carga de informações de caráter ideológico, psicológico ou sociológico. O agente que pratica a violência vem acompanhado de uma forte ideologia ou de natureza política, ou religiosa, ou sociológica – ideologia deve ser entendida como idéia mal formada. Isto quer dizer que o real agente da violência não está apenas no praticante, mas principalmente no tudo que lhe foi agregado como informação através das circunstâncias da vida. Ele não está sozinho nisso, podem ter certeza.

Por outro aspecto, podemos resumir isto tudo como sendo a Natureza, ou meio ambiente como queiram, preparando ferramentas para destruição e liquidação seletiva de algumas formas de vida. Quem não sabe os verdadeiros motivos ou não quer conhecer as verdadeiras razões chama estes agentes de psicopatas, como se isto esclarecesse alguma coisa.

Verifiquem que na maioria dos casos recentes de violência contra a vida humana, estes agentes parecem agir como se fossem zumbis e quase sempre morrem imediatamente.

Portanto, eles não estão sozinhos. Eles não praticam atos de violência por uma vontade individual, apenas. Podemos assim constatar que tais agentes são ferramentas da Natureza, quer dizer que também são vitimas, para promover a liquidação e o extermínio e, com um detalhe de curioso, sem gerar ódio sobre ele. Não gera ódio objetivo sobre o agente da violência porque este ao se matar ou ser morto, após a prática da violência, ele também se torna digno de pena, porque passou a ser mais uma vida humana perdida irracionalmente, como dizem.

Vida humana perdida irracionalmente é na visão dos encantados que não entendem e não conhecem a verdadeira razão da vida e muito menos têm formas de encarar a verdadeira solução. Dizem que certos atos são irracionais porque simplesmente não conhecem a razão de ser de tais atos. Se conhecessem a razão de ser de tais atos de violência já não diriam tal bobagem.

A irracionalidade dessa gente está na falta de conhecimento das verdadeiras razões da vida, esquecendo que tudo tem uma razão de ser; logo, tudo tem uma explicação racional que é justamente o conjunto de causas e origens que são a razão de ser de tudo que existe.

É por isso que afirmamos que tudo é Racional – tudo tem uma razão de ser, tudo tem uma causa e uma origem. É por isso que tudo é Racional, repito, pela razão de ser. Nada existe no mundo que não haja uma razão. Portanto, tudo que existe é Racional. É o mesmo que dizer, não há efeito sem causa.

Mas, os encantados, por não conhecerem o que é encanto, muito menos o que é desencanto, por estarem nesse processo de lapidação, afirmam que tais atos de violência são irracionais e não enxergam a razão de ser de tais coisas e nem fazem questão de saber. E este absurdo também pode ser encarado como sendo um dos principais motivos geradores dos absurdos de violência.

Se enxergassem um pouco, veriam e compreenderiam que tais atos de violência existem justamente para acabar com a ignorância que acompanha estas ideologias e também para acabar com a perversidade de certos elementos da sociedade, onde esclarecer as verdadeiras razões não agrega valor de mercado às suas práticas mirabolantes.

Quanto menos esclarecimento, para eles melhor. E os mestres e discípulos deste encanto permanecem assim com suas teorias e práticas fantasiosas, fingindo humanidade nos minutos de silêncio, como sinal de respeito. A verdadeira humanidade está no respeito à vida e no respeito a tudo que pode manter a vida sem máculas.

É por isso que precisamos nos conhecer, racionalmente! Conhecer racionalmente, quer dizer, conhecer todas as razões da nossa existência e de tudo que nos cerca.

Respeito, o verdadeiro respeito à vida é conhecer a verdadeira razão da vida. É buscar compreender as verdadeiras razões da vida, com base e com lógica, com provas e comprovações.

Essa é a verdadeira essência do respeito. E não ficar aí propagando falsas idéias ou ideologias que não refletem o sentido dos verdadeiros ensinamentos divinos que já de muito chegaram à Terra.

Portanto o absurdo da violência não está apenas no ato praticado. O maior absurdo é não querer conhecer as verdadeiras razões que dão causa e não enxergar as verdadeiras conseqüências. Maior absurdo é viver em um mundo sem conhecer este mundo e sem se conhecer.

Maior absurdo não é o ato da violência em si! Claro, que quem já passou a se conhecer sabe a dor que os outros sentem, e se sensibiliza e solidariza com todos.

Maior absurdo é o descaso que se faz, tanto por parte das autoridades tanto por parte da população em geral, que tratam apenas daquilo que lhes parece conveniente nos seus “mundinhos encantados” esquecendo de buscar e conhecer a realidade da nossa existência, com base e com lógica, através do desenvolvimento cultural do raciocínio de todos.

Acorda povo! Acorda governo! Está na hora e já passando da hora de todos acordarem para esta grande realidade da vida.

Nós não estamos sozinhos no Universo!

Está aí a Cultura Racional esclarecendo todos sobre a existência de tudo numa prática simples de vida. A teoria é boa, mas a prática é muito melhor. E qual é a prática? É a simples leitura de um livro na sua própria casa, que é uma casa de Deus. É para isso que estamos aqui e em todos os lugares para anunciar que a redenção universal está na Terra. Cultura Racional do livro Universo em Desencanto, sem ideologias, sem violências e sem máculas, recuperando a paz, o sossego e a saúde que todos precisam para viver.

(Rádio Tropical 830 AM – RJ – 08/04/2011, www.programaavozracional.com.br)

www.universoemdesencanto.com.br

www.encontroracional.com.br

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para UM ABSURDO DE VIOLÊNCIA

  1. Pingback: neverwinter power leveling

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s