O DOM – 2ª PARTE

O DOM DESCOBRIMENTO DO BERÇO RACIONAL. 3docx

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdaE9NN0xEdUFhZlk  (Clique no link para ouvir o áudio)

BAIXAR AUDIO

(Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira, RJ)

Descobrimento do Berço Racional na Terra

 

E assim veio a nascer em berço esplêndido no Brasil a Cultura Racional, em meio às religiões, cultos e filosofias existentes na época para, a partir dos livros “Universo em Desencanto,” ensinar os habitantes da Terra a se conhecerem e tomarem conhecimento de que já foram seres puros, limpos e perfeitos no MUNDO RACIONAL, habitantes da Planície Racional; e que por livre escolha e vontade, adentraram uma parte da planície que não estava pronta para progredir. E mesmo tendo sido avisados várias vezes, decidiram permanecer e progredir por conta própria, tendo essa parte da planície se desprendido e começado a se deslocar em movimentos circulares descendentes; e à proporção que descia, a planície e seus habitantes iam perdendo suas virtudes, energia Racional, que formaram um foco de luz prateada. Este foco de luz, o sol, começou a esquentar a planície que ao se derreter, uma parte virou goma e depois água e a outra resina e depois terra, tendo os Racionais se extinguido em cima da resina. A água por sua vez penetrou por baixo da resina cuja parte inferior havia se tornado cinza, e a cinza em contacto com a água mofou criando as condições ideais para o surgimento dos vírus visíveis e invisíveis, dos micróbios e das bactérias. Tudo isso gerado pela água, surgindo então a vida da matéria na matéria e a matéria brotando do chão.

Mais tarde, na fase do pensamento, o processo de reprodução foi transferido para o pingo d’água, também chamado de sêmen; a dona do pensamento fazendo o macho pensar na fêmea e a fêmea pensar no macho, unindo o micróbio da água com o micróbio da terra. A fêmea livre pensadora gosta do macho livre pensador e vice-versa. Um pensa no outro e as duas máquinas se unem e começam a trabalhar produzindo…um outro pensador.

Esse processo foi realizado, desde então até os dias de hoje, em vinte uma eternidades, tendo a humanidade passado pelas fases de monstros, monstrinhos, e monstrões; de selvagens primitivos, atrasados, e adiantados; e de civilizados primitivos, atrasados e adiantados, todos de origem Racional, mas em um progresso que vai a regresso, ou seja, em permanentes transformações degradantes, decadentes e poluídas; um conjunto de ruínas reunidas de matéria deformada, que por si mesma se destrói.

Mas, a partir de 1935 a fase do pensamento terminou e a Natureza progrediu para a Fase Racional, a derradeira no mundo da matéria, e tendo mudado o conceito natural da Natureza, mudam também os seus feitos. A Fase do Raciocínio veio para a recuperação do animal Racional, sendo que a Racionalização só se dá com o desenvolvimento do Raciocínio.

Os navegantes que nasceram com o dom, desempenharam brilhantemente o papel que lhes foi designado em suas vidas na matéria, contribuindo significativamente para o progresso Racional ao criar as condições que permitiram a vinda da Cultura Racional para o Brasil e posteriormente para o mundo. A Natureza levou a civilização oriental, mais avançada, a ceder os meios necessários para a civilização ocidental, mais atrasada, poder partir em expedição marítima, para colonizar seres selvagens em terras longínquas e até então desconhecidas. E essa orientação e apoio natural da Natureza foram contínuos e sobejamente comprovados na véspera do dia em que a terra firme foi avistada pelo almirante Colombo e sua tripulação.

Eis o que Colombo escreveu em seu diário de bordo nessa noite:

“Às 22h00min, uma bola de luz tal qual a chama de uma vela surgiu repentinamente na distância acima do horizonte. Ela desapareceu e apareceu várias vezes, subindo e descendo em passagens repentinas até desaparecer abaixo da superfície do mar.”                                 

Para alguns da tripulação parecia ser a indicação da proximidade de terra firme, que de fato se comprovou horas mais tarde. Qualquer semelhança com o que a Cultura Racional nos ensina é a pura realidade; a comprovação de que a frota de Colombo estava sendo escoltada do princípio ao final da expedição pela Energia do Astral Superior.                                                                                                      

Assim como passamos a conhecer através da leitura, estudo e pesquisa os nossos ancestrais chineses e sua civilização milenar, devemos também nos conhecer e reconhecer, conhecendo e reconhecendo a nossa origem Racional bem como a base de nossa origem, o MUNDO RACIONAL, para onde eventualmente retornaremos.

Então, vamos acordar para a realidade e concordar, pois é chegada a hora. Não há mais tempo a perder. Ler e reler a Obra e difundi-la entre aqueles que ainda não se deram conta de sua existência. Quem assim o fizer se salvará retornando para o seu Mundo de Origem. Quem não fizer descerá para a classe inferior, a classe dos irracionais.

Entretanto, nem todos alcançam o grau de entendimento que lhes permita almejar a recuperação e o decorrente retorno a PLANÍCIE RACIONAL. Isto porque, sem o passaporte carimbado ninguém retorna ao seu Mundo de Origem. O passaporte é o livro “Universo em Desencanto”, cujo visto de entrada só é concedido ao portador pelo RACIONAL SUPERIOR, quando o estudante de Cultura Racional tiver lido, relido, compreendido, entendido e repassado aos seus irmãos, as lições ali ensinadas por ELE. Essas são determinações do MUNDO RACIONAL.    

É simples assim!

Então, a sorte está lançada e é você quem decide: Por mérito subir e retornar ao seu Mundo de Origem, a PLANÍCIE RACIONAL, o MUNDO ETERNO; ou por demérito descer para a classe dos irracionais e lá ser lapidado por mais 7 eternidades.

Portanto, nunca é demais repetir: Salve-se quem quiser, e quem puder enquanto o tempo ainda existe, pois ele, o tempo, é uma ilusão da matéria e tudo na matéria tem um princípio e tem um fim. Portanto,

CUIDADO!

SALVE!

 

 

 

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em AUTOCONHECIMENTO, Livros, Saúde e bem-estar e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para O DOM – 2ª PARTE

  1. nalub7 disse:

    Salve, Gilberto!
    A conclusão do texto feita nessa 2ª parte nos leva à reflexão sobre a grandeza incomensurável de nossa Mãe Natureza, que tudo sempre soube e sabe a tempo e a hora, nos mínimos detalhes, para resgatar os raciocínios perdidos.
    É emocionante, carecendo de absoluto respeito e seriedade!
    Parabéns pela forma brilhante e cheia de amor utilizada para conduzir o texto, de forma a divulgar a dívida de GRATIDÃO que toda a humanidade tem para com nosso PAI ETERNO, o RACIONAL SUPERIOR, e para com nossa Mãe Natureza, dívida essa que somente é resgatada quando a pessoa abraça com todo amor, carinho e abnegação a Cultura Racional, cultura natural da nossa grandiosa Mãe, ditada no Brasil por nosso PAI ETERNO, e que veio constituir os livros Universo em Desencanto.
    Gratíssimos!
    Saudações Racionais!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s