A FALSA CULTURA DO ANIMAL RACIONAL

A FALSA CULTURA DO ANIMAL RACIONAL

(Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira, RJ)

 

A cultura do vivente terreno pode ser definida como um complexo de todo o conhecimento que o ser humano adquire pelos sentidos a partir do interior do ventre materno, até seus últimos momentos de vida na matéria.  Esse entendimento compreende tudo o que se aprende, tudo o que se crê, tudo o que envolve hábitos e aptidões.

Cultura na língua latina dos Romanos se referia também ao cultivo da terra para a produção de alimentos como assim permanece nos dias de hoje. Entretanto, no sentido prático da vida que vivemos, se plantarmos a semente do mal, a colheremos, se plantarmos a semente do bem, também a colheremos. O que se planta se colhe, nos dois sentidos.

É também um mecanismo cumulativo de informações que passam de geração em geração, se transformando, perdendo e ganhando, sempre incorporando novos aspectos. Por isso é um conceito em permanente desenvolvimento, influenciado por novas maneiras de pensar e de imaginar. São essas transformações que vieram ocorrendo ao longo das 21 eternidades desde a fase de monstros, depois de selvagens e agora de civilizados.  

Esse estado de coisas perdurou até 1935, quando a fase do animal Racional, que é a fase do segundo milênio, se extinguiu, levando junto com ela as energias elétrica e magnética que comandavam o pensamento e a imaginação, energias espúrias que tinham a função precípua de lapidar o livre-pensador. Entre esses castigos estava o de criar confusões na mente dos viventes, injetando nelas infinidade de diferentes culturas, crenças, leis, hábitos, que no final acabavam por redundar em discórdias, brigas, guerras, disputas, destruição… e mais lapidação.

Da cultura original do pensamento e da imaginação derivaram muitas outras, tais como a organizacional das empresas, bem como de organizações privadas, governamentais e religiosas; a popular, criada pelo povo; a filosófica, a literária, a musical, e assim por diante.

De todas as culturas, a mais abrangente empolada e confusa é a filosófica que conduz o vivente ao nada sem lhe trazer qualquer benefício de qualquer espécie, que não seja o de tentar iludir a todos por seu elevado grau de sofisticação e magnetização, no uso da argumentação e das ideias.

Os historiadores da antiga Grécia nos deixaram relatos sobre seus principais filósofos, que por serem os primeiros pensadores a contribuir para o desenvolvimento do pensamento no ensino das ciências humanas, escaparam da vulgarização que os que os sucederam fatalmente se submeteram, por se tornarem prisioneiros de suas teorias concebidas do nada para o nada.

A palavra “filosofia” vem do grego e significa “amor ao saber”.  Consiste no estudo de problemas fundamentais relacionados à existência, ao conhecimento, à verdade, aos valores morais e estéticos, à mente e à linguagem.

E quem é o filósofo?

É um indivíduo que busca o conhecimento de si mesmo, sem uma visão pragmática, movido pela curiosidade e pelos fundamentos da realidade.

Segundo consta na literatura consultada na internet: “… a filosofia é intrínseca à condição humana, não é um conhecimento, mas uma atitude natural do homem em relação ao universo de seu próprio ser. A filosofia pode ser definida como a análise racional (sic) do significado da existência humana, individual e coletivamente, com base na compreensão do ser”.

Ao estudante de Cultura Racional logo ocorre a pergunta clássica que é enunciada no primeiro volume da Obra “Universo em Desencanto”: QUEM ÉS TU PENSADOR INÚTIL QUE A IGNORÂNCIA É TANTA QUE NÃO CONSEGUES DEFINIR TEU PRÓPRIO “EU”.

A partir de 1935, com a mudança da fase de bicho Racional para a Fase Racional, houve uma transformação radical em todos esses conceitos baseados no pensamento e na imaginação criados para a lapidação do bicho, e o abrandamento de sua rudez.

O verdadeiro RACIOCÍNIO chegou ao mundo de matéria nas páginas de um LIVRO extraterrestre, inédito, gerado e transmitido do Primeiro Mundo, o MUNDO RACIONAL, pelo RACIONAL SUPERIOR, para o Senhor Manoel Jacintho Coelho, o RACIONAL SUPERIOR DA TERRA, (dois em um).

É nele que está contida a Nova Cultura, a CULTURA RACIONAL a Cultura da nova fase na vida do Universo, a Fase Racional, a fase que antecipa a subida da Humanidade para seu Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.

Nova para a humanidade de hoje, porém, a Cultura Racional antecede ao ser humano.

Essa Cultura difere das demais por ser de origem única, por ser divina, não havendo nenhuma outra igual, e por trazer conhecimentos transcendentais inéditos e verdadeiros, através dos quais o vivente se desliga deste segundo mundo e retorna para seu Mundo de Origem, o Primeiro Mundo, o MUNDO RACIONAL.

No início deste texto, cultura está definida como o conjunto de todo o conhecimento adquirido pelo vivente desde sua formação dentro do ventre materno até seu derradeiro momento de vida. Essa é a definição da cultura animal Racional.

 O Aparelho Racional define a CULTURA RACIONAL, dentre muitas, da seguinte forma: o mundo passou por uma infinidade de fases e chegamos agora à Fase do Aparelho Racional. Isso quer dizer que a espécie humana estará ligada ao seu Mundo de Origem em sua última fase de vida na matéria. E estando ligada ao seu Mundo de Origem, estará recebendo as orientações transmitidas pelo RACIONAL SUPERIOR para seu equilíbrio na vida.

Isso quer dizer, portanto, que para a Cultura Racional a vida não começa no útero da mãe biológica (essa é a definição da cultura do animal Racional), mas sim no MUNDO RACIONAL onde fomos gerados por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, à sua imagem e perfeição, puros, limpos e perfeitos.

Entretanto, uns tantos desses tais decidiram adentrar uma parte da PLANÍCIE RACIONAL que não estava pronta para entrar em progresso e lá progredir por conta própria, não dando ouvidos aos chamados de advertência de nosso PAI.

Essa desobediência causou o desligamento, o deslocamento, a descida e a deformação dessa parte, que iniciou um movimento de descida à proporção que aqueles tantos progrediam por conta própria.

Conforme iam se deformando a Planície ia baixando e eles perdendo suas virtudes. As virtudes perdidas começaram a se juntar e com o tempo se reuniram em um foco de luz fria e fosca, a princípio, e posteriormente esquentou e se tornou o sol.

Esse foco de luz passou a aquecer a planície e dela surgiu uma resina que com o calor começou a empolar, depois passou a ficar queimada, depois torrada para no final virar cinzas, a terra.

A outra parte da planície começou a se derreter, ficando mole, de mole a gomosa, tornando-se um líquido grosso que com o tempo foi afinando e se tornando água. E assim foi feita a água.

Os corpos sutis dos Racionais que vinham descendo e se deformando, extinguiram-se no princípio da formação da terra e da água, perderam todas as suas virtudes que eram puras, limpas e perfeitas, e seus corpos foram transformados em outros corpos de matéria deformada.

Da resina e das cinzas que é a terra vieram os corpos femininos, e os que ficaram na parte gomosa formaram os corpos masculinos.

Eis, portanto, uma partícula da História da Humanidade narrada pela Cultura Racional, a Cultura Divina, a Cultura da Verdade verdadeira, a única que trás os conhecimentos que podem abreviar a volta do homem para de onde veio.

Para aqueles viventes que tiverem interesse e quiserem conhecer toda a história da humanidade,  tim-tim por tim-tim, procurem adquirir o primeiro volume da OBRA “Universo em Desencanto” de Cultura Racional. A obra toda consiste de mais de 1000 volumes, mas o primeiro já engloba todo o Conhecimento.

UNIVERSO EM DESENCANTO significa se desencantar deste segundo mundo, que já se tornou inexistente para os que se desencantaram e se desvencilharam das atrações, aparências e ilusões criadas pelas energias elétrica e magnética estando no processo de IMUNIZAÇÃO RACIONAL.     

Esses estão desenvolvendo o Raciocínio, a Vidência e o Aparelho para desmaterializarem o Habitante do MUNDO RACIONAL que se encontra materializado em sua epífise ou glândula Pineal.

Ao fazê-lo, desmaterializam o Habitante, que readquire sua forma corpórea de massa cósmica pura limpa e perfeita (dois em um) e ascendem para de onde vieram: o MUNDO RACIONAL!

SALVE!

 

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em AUTOCONHECIMENTO, Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para A FALSA CULTURA DO ANIMAL RACIONAL

  1. Mary Sana disse:

    Parabéns Gilberto Carnasciali pela abordagem adequada, como sempre, ao divulgar a CULTURA RACIONAL, colocando-a em seu merecido patamar!
    O alfabeto preparatório artificial, manteve a humanidade, subsidiando-a, até que a mesma pudesse compreender o CONHECIMENTO TRANSCENDENTAL.
    O nosso período de estudos antecedentes à chegada da Fase Racional no Universo, foi de saberes que sempre se desenvolviam de forma circular, nos ENROLANDO LITERALMENTE, nunca a aprendizagem prosseguia de FORMA LINEAR, porque para esse avanço, ainda não era o tempo.
    E agora, chegou o SABER que distribui CULTURA, TRANSFORMA pessoas e quem extrai com PACIÊNCIA, PERSISTÊNCIA e DISCIPLINA o seu CONTEÚDO INÉDITO, terá provas e comprovações da sua eficácia.
    O que estudamos até então foi válido, mas não resolveu, porque só existe VERDADE, onde o benefício é para todos, sem vaidades e ostentações, por se tratar do NATURAL.
    E mais, o VERDADEIRO DEUS não exclui nenhum filho da TRILHA DE LUZ, possibilitando a todos sua volta ao Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.
    Aprendemos na OBRA DELE, o RACIONAL SUPERIOR, que a INTELIGÊNCIA ORIGINAL é própria do RACIOCÍNIO DESENVOLVIDO e independente do embuste artificial.

    Curtido por 1 pessoa

  2. nalub7 disse:

    Bela divulgação do Conhecimento Racional, alertando o leitor visitante sobre a inutilidade da matéria para o crescimento e evolução energética da humanidade, quando essa humanidade leva sua vida considerando o ser material com primazia e como condutor da vida, o que não é verdade.
    Somente à essência SUPERIOR DA VIDA, que é a ENERGIA RACIONAL, cabe essa elevada consideração, por ser a única competente para equilibrar plenamente o animal Racional, que, ao alcançar essa grandeza, evolui para Aparelho Racional.
    Louvada seja a ENERGIA RACIONAL em sua missão de PAZ, AMOR, FRATERNIDADE e CONCÓRDIA na Terra.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s