O TERCEIRO MILÊNIO FOI NECESSÁRIO PARA ALCANÇARMOS O PRIMEIRO

(Porfirio J. Neves)

No princípio tudo eram trevas e não havia nenhum entendimento da existência daquilo que, afinal, não existe mesmo, porque tudo é provisório e passageiro. Esta citação se aplica para cada indivíduo ou ser humano.

Você lembra do dia em que nasceu? Você consegue lembrar como foi sair do útero de sua mãe? Ninguém se lembra! – Pelo menos por enquanto! Nossas primeiras lembranças, que ficam em nossa mente pensante, começam apenas após alguns anos de vida.

Você pode até assistir em vídeo o seu nascimento na maternidade, já que muitos pais gostam de gravar o parto e outros momentos tenros da vida do bebê. Entretanto, você apenas poderá sentir que se lembra dos eventos acontecidos a partir de certa idade.

O que pretendo alegar com este tipo de afirmação? Bem, procure entender que estou falando do ser que se sente no íntimo, aquele algo ou alguma coisa que nos diz que somos seres vivos individualizados, que nos diz que somos seres diferenciados e diferentes uns dos outros.

O indivíduo é a manifestação deste ser! O indivíduo é o local onde estão gravadas as nossas lembranças e o indivíduo começa no nosso íntimo. Mas, este íntimo, somente o percebemos após alguns anos ou meses de vida.

Conforme avança a evolução, passamos a percebê-lo mais cedo, até que nas novas gerações, quem sabe, cada um possa se lembrar do dia em que nasceu sem precisar de uma filmadora. Quem sabe até, lembrar dos espasmos que causava na barriga da própria mãe.

Percebam bem: indivíduo e íntimo. O indivíduo ou individualidade é sempre a mesma, porém, o íntimo é a forma de entendermos este indivíduo. No íntimo se manifestam nossas lembranças, nossas emoções, nossos rancores, nossos amores, enfim, no íntimo está a primeira forma de nos entendermos como indivíduos ou como seres que somos, nesta vida provisória do indivíduo.

No íntimo está uma personalidade que é exclusiva de cada indivíduo, em uma dada transformação, ou reencarnação. O íntimo é, portanto a primeira forma de entendermos o ser. O íntimo se desenvolve no primeiro milênio com as relações internas de cada indivíduo.

Digo primeiro milênio por ser um curso de desenvolvimento milenar, pois foi através de milhares e milhares de anos que os indivíduos saíram da fase anterior à fase pré-histórica, em que os indivíduos entendiam apenas a existência de seu íntimo.

Podemos descrever assim o primeiro milênio: – um indivíduo usando apenas o íntimo e que não consegue se relacionar com ninguém; apenas fica criando imagens, criando tudo imaginário, porque vê os outros e vê o mundo e não sabe o que está vendo. Imagina apenas. E a Natureza vai desenvolvendo este íntimo com imagens que se criam a partir das imagens que se vê. E bota milhares de anos nisso.

No primeiro milênio do desenvolvimento, portanto, o indivíduo se resume em seu íntimo. A criança vê o mundo, porém somente ela existe no mundo – é a fase do “venha a nós”. No caso de uma criança o primeiro milênio seria a primeira infância.

A partir destas relações de ver imagens e buscar entender estas imagens criando novas imagens, no primeiro milênio, acontece um grande salto de entendimento, quando surge um pensamento no íntimo de cada indivíduo provocado pela própria Natureza: -“se eu tenho um íntimo e tenho uma imagem semelhante à imagem daquele que eu vejo na minha frente, aquele que eu vejo na minha frente também deve ter um íntimo, semelhante a mim”.

Naturalmente, a palavra “íntimo” traduz apenas a percepção de si mesmo. No princípio do desenvolvimento do pensamento, as palavras eram associadas com imagens. As imagens desenvolvidas no primeiro milênio foram sendo utilizadas para criar palavras quando começa o desenvolvimento do pensamento. Por isso os primeiros alfabetos foram feitos com hieróglifos.

Surge, desta forma o segundo milênio, milhares e milhares de anos em que os indivíduos começam a se relacionar entre si, após a percepção em si mesmo da existência de um íntimo.

No segundo milênio, os indivíduos despertam de seus íntimos para perceberem que os outros também têm um íntimo dentro de si e começam a se relacionar – o íntimo de cada um se relacionando com o mundo formado pelos demais íntimos.

O segundo milênio corresponde à segunda infância de uma criança em que ela aprende a se relacionar com outras crianças. É fase do desenvolvimento do pensamento que diz: “se eu tenho um íntimo, todos também têm um íntimo”.

Surge assim a fase das civilizações, em que civilizar significa fazer entender que a dor que o seu íntimo sente é a mesma dor que o íntimo do outro sente também.

Assim foram criadas as civilizações, ou formas de civilizar. Na verdade ninguém alcançou a civilização plena, porque ainda se discute a forma e modo de educar para civilizar.

Uma civilização plena não pode ter diferenças como estas que ainda percebemos no mundo com tantas guerras, tantos interesses comerciais aguerridos, interesses políticos destruidores, enfim, tudo isso que ainda perturba os indivíduos para um bom relacionamento do íntimo de cada um com o íntimo dos outros e buscar se ligar ao “Íntimo Verdadeiro Universal”.

Então, porque cada povo foi criando sua forma de civilizar de uma forma diferente? Certamente, todas as formas se tornaram diferentes por essas diferenças de gostos, dessas vaidades dos íntimos dos indivíduos e ambições materiais.

No primeiro milênio havia apenas o íntimo que cada indivíduo podia perceber em si mesmo. No segundo milênio o pensamento faz compreender que cada semelhante tem um íntimo também e que devíamos buscar a civilização ou civilidade entre os íntimos para podermos nos compreender.

Porém, o pensamento associado à imaginação supôs e articulou, antecipando um terceiro nível de relacionamento que seria a relação dos indivíduos com o “Íntimo do Criador Universal”, ou como hoje entendemos, com a Individualidade Verdadeira que originou todos os indivíduos.

O que aconteceu logo no início da fase do pensamento é que houve uma antecipação imaginária de um terceiro relacionamento entre os íntimos. E assim, cada povo, com seus gostos, suas vaidades foi criando este suposto e imaginário “terceiro relacionamento”, ou “terceiro milênio” sem primeiro ter alcançado o que era mais importante que era o de civilizar os íntimos de todos os indivíduos.

Nem precisamos ficar aqui nos delongando com exemplos das confusões criadas por causa desta antecipação, basta citar a existência do judaísmo, do islamismo, do cristianismo, do budismo, do hinduismo, do espiritismo, enfim, do ateísmo.

Cada povo com sua forma de civilizar os íntimos e já com a pretensão de se relacionar com o “Íntimo Supremo Universal” que cada um passou a supor a existência de Deus de formas diferentes e, por vezes, muito pouco civilizadas. Estão aí, ainda, algumas guerras religiosas.

Guerra não é civilidade nem civilização. Guerra é atraso e só existe porque alguns íntimos de indivíduos incertos ficaram muito atrasados no desenvolvimento da imaginação e do pensamento e não entenderam bem o que quer dizer civilização.

Civilizar, repito, é buscar um perfeito relacionamento entre os íntimos de cada indivíduo, com base na compreensão da existência das diferenças. Civilizar é o objetivo primordial do segundo milênio.

Se ninguém ainda sabia o porquê de sua própria existência, como podia saber da existência de quem nunca conheceu, nem nunca se ligou a ELE? Como poderia já querer se relacionar com quem nunca estabeleceu contato? Como podia querer se relacionar com Deus, com o íntimo de Deus se ainda não entendia o porquê de seu íntimo e do íntimo dos demais?

A grande comprovação de que ninguém nunca se relacionou com Deus é a grande confusão que ainda persiste no mundo. Todos dizem que Deus é um só, porém cada povo quer que o seu Deus seja o mais verdadeiro.

Tudo isto, pelo que sabemos, começou com Abraão, na época em que as civilizações estavam muito atrasadas. Como poderiam compreender que existia uma Força Extra Cósmica Universal, invisível, quando ainda somente o pensamento e a imaginação estavam atuando de forma precária?

Daí se espalhou pelo mundo do segundo milênio a ambição de todos alcançarem o Terceiro Milênio, ou seja, a relação direta do intimo de cada um com o íntimo de Deus. Mas, ficou tudo no suposto e no imaginário e nas idolatrias. Cada povo foi criando seus símbolos para fazer enxergar ao seu modo de ver esta Força Suprema Universal. Mas, ninguém nunca conseguiu no segundo milênio.

Assim como uma criança só atinge a maioridade após a terceira infância, a humanidade precisava viver sua terceira infância para compreender, conhecer e se ligar ao Terceiro Milênio Universal.

E este terceiro modo de relacionamento entre os íntimos dos infantes só podia acontecer quando a Natureza do Íntimo Superior Universal concedesse tal conhecimento aos indivíduos e ao mundo dos indivíduos de sua existência, não pela intimação, nem pela civilização e sim pela racionalização.

Então, Racionalização é o terceiro milênio da infância da humanidade.

Racionalização é conhecer o Mundo de nossa verdadeira raça e saber como voltar para Ele, pelo desenvolvimento do Raciocínio. E a Cultura do Terceiro Milênio é a Cultura Racional, a Cultura da Racionalização dos povos, como já tinha sido anunciada, desde os tempos de Abraão.

Agora sim, a humanidade vai entrar na fase de sua plena maturidade, após esta terceira infância, ou Terceiro Milênio do mundo encantado, e passar a conhecer o Primeiro Mundo, o Mundo Racional pela forma do Desencanto Universal.

Assim, na forma do Desencanto, de cima para baixo, o primeiro Milênio é o Mundo Racional, o Segundo Milênio é o Astral Superior e o Terceiro Milênio é o Astral Inferior e, por isso, todos tínhamos que chegar ao terceiro milênio do desenvolvimento dos íntimos para conhecermos o primeiro Milênio da existência do Mundo onde vive a Verdadeira Individualidade, os indivíduos puros limpos e perfeitos.

Mas, primeiro precisa compreender, para depois conhecer e enfim se ligar, para depois se desmaterializar. Precisa compreender o que é civilizar, para conhecer o que é Racionalizar e enfim todos se ligarem no Primeiro Mundo, o Mundo Racional, desmaterializando a Energia que estava materializada em forma de máquina do Raciocínio.

Para compreender, conhecer e se ligar no Primeiro Milênio, aí está a Cultura do Terceiro Milênio, a Cultura Racional para o desenvolvimento do íntimo Racional que cada um tem em si mesmo, que é o raciocínio autêntico original, a verdadeira e única personalidade do ser, ou indivíduo que quer ser chamado de ser humano.

Tudo começou com uma cabala de três milênios para poder encontrar o primeiro, pelo desenvolvimento do Raciocínio, passando, então, a criar os três milênios verdadeiros no íntimo de cada um. E assim surgem em nosso íntimo as sete partes do por que assim somos: três – um – três. Salve tudo e salve todos, Racional.

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

11 respostas para O TERCEIRO MILÊNIO FOI NECESSÁRIO PARA ALCANÇARMOS O PRIMEIRO

  1. Valdir disse:

    Um valioso conteúdo!
    Sem dúvida!
    A evolução é lapidação; quanto mais lapidados, todos mais amadurecidos. E quanto mais amadurecidos, mais equilibrados e mais aperfeiçoados em tudo; como nos ensina o Conhecimento de Cultura Racional.
    Assim, a evolução tem mostrado o caminho natural para a perfeição a que estamos sendo conduzidos pelo desenvolvimento do raciocínio. Gratíssimos!
    Salve!

    Curtir

    • nalub7 disse:

      Com certeza! Sem lapidação não há amadurecimento. Sem amadurecimento não há evolução. E sem evolução não se alcança a personalidade única e verdadeira: RACIONAL.
      A compreensão exata disso nos leva ao desprendimento total, quando passamos a encarar a vida como nos recomenda o RACIONAL SUPERIOR: sem preocupações, pois, “tudo é bom e nada presta”. Tudo na vida da matéria é um mal, por isso nos faz sofrer. Mas, esse sofrer, esse mal é que nos faz acordar para a vida eterna, a vida RACIONAL. Gratíssimos!
      Salve!

      Curtir

  2. Muito bom, Prof. Porfirio!!!
    Precisamos nos aprofundar cada vez mais no entendimento da evolução
    humana, pra compreendermos as mudanças de fase, buscando bons exemplos
    da compreensão dos dias atuais. Assim fica bem mais fácil e atrativo para aqueles
    que ainda relutam a ler os livros Universo Em Desencanto.
    Um abraço fraternal!!!

    Curtir

    • nalub7 disse:

      Sem conhecimento não há evolução. E como cada fase tem seus entendimentos, é necessário conhecer os entendimentos de cada fase, para haver entendimento perfeito entre o homem e a natureza, que é ela quem determina os entendimentos de cada fase, por ser a geradora, criadora e mantenedora de tudo e de todos. Ignorar isso, é querer ser mais do que a NATUREZA. E aqui cumprimos com o nosso dever de anunciar os novos entendimentos da fase em vigor, a Fase Racional. Mas, a vontade é livre.
      Gratíssimos! Nosso abraço fraternal!

      Curtir

  3. zilma disse:

    Procurar e entender as fases da evolução
    do eu da individualidade, para haver a ligação
    perfeita entre a natureza mantedora de todos.
    Então, ficará mais facil conhecer outros ensinamentos
    como este que fala da natureza (DEUS): um outro modo de falar
    dele ! O ser supremo !
    Abraços senhor.

    Curtir

  4. nalub7 disse:

    Sim. É isso que aconteceu e vai evoluindo na vida da humanidade.
    Milênio significando os anos necessários para início e fim de uma fase da natureza.
    Na fase inconsciente, sob comando das energias elétrica e magnética, temos:

    1º MILÊNIO: desenvolvimento da imaginação, para lapidação dos seres humanos.
    2º MILÊNIO: desenvolvimento do pensamento, para lapidação dos seres humanos.
    3º MILÊNIO: liquidação dos pensadores que não acordaram com a lapidação, admitindo cada qual um SER SUPREMO diferente. E encaminhamento dos que acordaram para a fase consciente da natureza, a Fase Racional.

    Os que conseguem acordar com a lapidação do 1º e 2º milênios da FASE INCONSCIENTE, chegam à uma única conclusão, de buscar um rumo novo, comum para todos, indistintamente: esses formam UM, dispostos a colocar a paz, o amor e a fraternidade acima de tudo que aprenderam na FASE INCONSCIENTE. Perceberam a existência de um SER SUPREMO ÚNICO.
    Aí, encontram a FASE RACIONAL, a FASE CONSCIENTE, onde vão ser recuperados dos três milênios (ou fases) vividos na FASE INCONSCIENTE, revivendo-os, racionalmente, na nova FASE, a FASE CONSCIENTE, RACIONAL:

    1º MILÊNIO: a racionalização da imaginação.
    2º MILÊNIO: a racionalização do pensamento.
    3º MILÊNIO: a recuperação dos pensadores, pelo desenvolvimento do raciocínio, que depois de desenvolvido o raciocínio é que há a verdadeira evolução da humanidade e sua libertação, em vida, da vida da matéria: a APOTEOSE RACIONAL!

    Então, três milênios vividos sob o jugo inconsciente eletromagnético e, depois, esses três milênios sendo recuperados e governados pela ENERGIA RACIONAL. Os três milênios negativos, o ACORDAR para a unidade e os três milênios positivos (recuperados). Sete partes.
    TRÊS – UM – TRÊS: RACIONAL! É quando o ser humano se completa, identificando-se com a individualidade verdadeira, que é UMA só, RACIONAL, reconhecendo, portanto, o verdadeiro SER SUPREMO A TUDO E A TODOS, que é UM só, porque RACIONAL é um só, não existe divisão, não existe deformação, não existe degeneração e, assim, não existe transformação, por estar completo.

    Curtir

  5. A sequência de 3-1-3 foi uma inspiração tirada de um livro intitulado “Umbanda de Todos Nós” de Wilson Da Mata (origem mediúnica). Este é um daqueles livros que servem para comprovar nosso melhor entendimento acerca da Cultura Racional. Como diz o Racional Superior: “Umbanda não parou!” – A verdadeira Umbanda! Para quem gosta de “brincar” com os números isto serve para mostrar a constituição das sete partes obedecendo à “Lei de Três”. E isso me esclareceu um lindo trecho do livro.
    No primeiro volume do Universo em Desencanto temos: “Céu, terra e Água, os três reinos da bicharada…” e depois. “Os três reinos: céu, terra e água, dependem de outros três: sol, lua e estrelas para formar as multiplicações dos seres, e desses seres, se conta mais um reino”.
    Aí está uma informação que nos mostra três conjuntos formando sete partes, os sete reinos do porquê assim somos.
    Recomendo ainda a leitura dos artigos intitulados Três milênio do Encanto e os Três Milênios do Desencanto.
    Tínhamos que nos ligar ao PRIMEIRO, em três etapas (três milênios do encanto), para depois cumprir as 3 etapas da Fase Racional (os três milênios do Desencanto).
    Gratos pela compreensão. e continuem lendo cada vez mais o livro que divulgamos sempre, de todas as formas e todas as maneiras.

    Curtir

  6. celia disse:

    se não existe espirito então por que no parto da mnha filha eu sai do corpo, fui na rua vi as pessoas e depois que fui voltando pro corpo vi minha filha que descia do alto como se estivesse voando e dentro hospital vi todas as crianças que ia nascer inclusive teve uma que estava conversando com a minha filha era negra e nasceu também, pode me explicar isso?
    e ainda sem querer advinhei que os pais da negrinha ia morrrer, anos depois morreu, está orfã

    Curtir

    • nalub7 disse:

      Tudo isso que sua pessoa vivenciou é verdade, mas, não se trata de espírito. Temos a matéria grossa e a matéria fina, que é o corpo fluídico. Alma seria um sobressalente do corpo. Aí está o engano e a confusão, esse sobressalente não existe. A parte fluídica é que dá causa à parte da matéria grosseira. A matéria é a parte decantada. Mal comparando, um suco de caju num copo ou vasilha, deixado algum tempo, a parte mais grosseira, mais pesada fica no fundo. Mas, a parte do alto, a mais leve não é a alma do suco. Tanto parte grosseira como a parte mais fina constituem um só corpo.
      Espíritos existem, mas, pertencem a outra dimensão eletromagnética superior à nossa e não morrem, são eternos. Sua pessoa, ao estudar Universo em Desencanto, vai conhecer todas as dimensões existentes, daqui do chão onde estamos até à origem. Cada dimensão com seus habitantes. Nosso corpo fluídico, enquanto estiver ligado ao mundo em que vivemos, ao mundo material, sempre torna a nascer neste plano, dando origem a novo corpo de matéria. Não existe morte. O que há é a transformação de uma vida para outra e de um corpo velho ou doente ou acidentado, para um novo corpo de matéria. O seu fluido, enquanto estiver ligado à matéria, continuará fazendo novos corpos, variando entre masculino e feminino. As crianças que você viu no hospital eram os corpos fluídicos das crianças que estavam no ventre de suas mães e estavam para nascer. Você não adivinhou que os pais da menina iam morrer, você simplesmente captou essa informação do corpo fluídico da menina. Tudo que vai acontecer com cada qual está contido na parte fluídica. Tal como um HD de computador. Por isso que as pessoas mais ligadas à parte fluídica que à parte bruta da matéria, podem revelar passado, presente e futuro, porque tudo está registrado na parte fluídica de todas as vidas: animais Racionais, animais irracionais, vegetais e minerais. É muito lindo estudar tudo isso.E tudo tem vida, tem sentimento e todos os seres falam.
      E para clarear ainda mais sobre a não existência de alma e/ou espírito no corpo, veja bem: se existisse espírito no corpo das pessoas, a Justiça tinha que ter lá os melhores médiuns para desvendar os crimes misteriosos. Aí, ninguém ia querer matar ninguém. Porque a Justiça contratava um médium, o médium recebia o espírito da pessoa assassinada e essa pessoa revelaria o nome do assassino. E nós não teríamos mais crimes misteriosos. Acontece que quando a pessoa se transforma, há transformação também nessa parte fluídica e perde-se a consciência das vidas anteriores. Tudo está gravado no fluído, mas, não existe a consciência dessas gravações. Somente uma pessoa racionalmente desenvolvida, tem acesso a esse HD (memória), porque passa a vibrar com outra freqüência vibratória, suprema, que tem acesso a todas as memórias no UNIVERSO. Por isso o RACIOCÍNIO é a chave da libertação do animal Racional. E que é conseguido o seu desenvolvimento com o estudo diário e persistente dos Livros Universo em Desencanto.
      Estamos à sua disposição, esperando ter esclarecido sua dúvida. Gratíssimos por sua participação e o nosso abraço Amigo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s