SURFANDO NA MATÉRIA

SURFANDO NA MATÉRIA

PARTE 1

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdSFNnXzNFWlVjM1JpdFdCeW01MmpCbmdyYVFV

download1

PARTE 2

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdbUd0TEF0UFRTUWpBcG5RRHFRMmxacnpGYno0

download1

(Clique nos links para ouvir os áudios)

(*)

(Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira, RJ)

 

 

PARTE 1

 

A definição livre da palavra “surfe” é a de uma prática desportiva, que consiste em deslizar sobre uma prancha de fibra na crista de uma onda até à beira-mar, passando por dentro ou por baixo dela.

Uma “vaca” é quando uma onda se forma muito cavada, em forma cilíndrica, estourando sobre si, arremessando o surfista sob ela mesma e submetendo-o a um prolongado “caldo” que lhe pode ser fatal.

O surfista, ao descer com sua prancha em uma onda gigante, riscando com os dedos a superfície do paredão líquido que continua a se elevar, e fazendo evoluções acrobáticas sobre aquela monumental massa de água quase na vertical, corre o risco de tomar uma “vaca”.

Este é o termo que define a desventura do surfista ao receber o impacto de toneladas de água sobre sua cabeça e sua frágil embarcação, caso não exerça um equilíbrio total sobre suas manobras e sobre as condições da própria onda.

Essa é a atividade do surfista, cuja principal tarefa é se manter equilibrado em cima de sua prancha do princípio ao fim do percurso.

Comparativamente, a onda em que o “surfista” Racional desce é a mesma em que o ser vivente vive, se equilibrando na transição entre duas fases nesta vida de matéria: a fase de animal Racional e a Fase de Aparelho Racional. Os que nasceram de 1935 em diante, nasceram para surfar a onda que os levará da fase do nada à fase do tudo.

A Natureza é, como sempre foi, aquela mesma onda com todas as suas inúmeras características, boas e más.

Saber surfar a onda de uma vida no traslado entre uma fase e a outra, é o que faz o vivente ser aquele que já se conhece, que conhece a sua onda e sabe nela se equilibrar, pois sabe de onde ela vem pra onde vai: da PLANÍCIE RACIONAL para as brancas areias da praia que reluz à sua frente: o Paraíso Racional.

A vida de todos nós leigos humanos é mais arriscada ainda do que a dos surfistas profissionais que estão sempre sendo socorridos por salva-vidas treinados em Jet- skis. Nossas vidas têm um significado que vai muito além do que ela realmente significa na matéria: nada!

A História da Humanidade nasceu em outra época, em outros mares, em outras ondas, muito mais altas, muito mais fortes e muito mais poderosas, proveniente da Energia Superior a todas as energias, a Energia Racional, em um mundo onde há 21 eternidades tudo era paz, concórdia, tranquilidade, pureza limpeza e perfeição.

E essa onda começou a se formar e a se avolumar quando uns tantos puros, limpos, perfeitos e eternos saíram do MUNDO RACIONAL e entraram por uma parte da PLANÍCIE RACIONAL que não estava pronta para entrar em progresso.

Foram avisados e alertados inúmeras vezes por nosso PAI, o RACIONAL SUPERIOR, e O desobedeceram todo o tempo, continuando a progredir por conta própria e não dando ouvidos aos Seus chamados.

Este foi o exato momento em que aqueles tantos tomaram a grande “vaca” que caiu sobre eles como se fora uma enorme massa líquida sobre suas cabeças: o deslocamento daquela parte da planície que não estava pronta para progredir e que iniciou um movimento de descida, com todos que nela estavam, criando uma cisão que desde então separou todos aqueles Racionais de seu Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.

E onde foram parar?

Após uma descida com transformações sem intervalos, durante a qual aqueles tantos e a planície foram perdendo suas virtudes, essas virtudes se juntaram em uma só e formaram um foco de luz prateada e fria inicialmente, e que após começou a aquecer formando o sol.

Com o aquecimento do sol à proporção que perdiam suas virtudes, uma parte da planície começou a se derreter, dela saindo uma resina, que tempos após começou a empolar, depois a ficar queimada, depois torrada, e depois de torrada virou cinzas: a terra. A outra parte da planície, com o calor começou a derreter, ficando mole, depois gomosa, depois um líquido grosso, mais fino, pra no fim tornar-se água. Esta aí como se formaram a terra e a água. Enquanto isso os corpos sutis dos Racionais iam se deformando até tocarem no princípio da materialização da terra e da água e se materializarem.

Importante dizer que nada sentiram nem notaram por estarem convictos que podiam tanto quanto o RACIONAL SUPERIOR, e, portanto, podiam progredir por conta própria independentemente, sob sua própria tutela.

Na sequência, os primeiros corpos que se formaram foram os dos monstros, depois os dos selvagens, em seguida os de animal Racional e finalmente os Aparelhos Racionais.

 

 PARTE 2

 

A fase do animal Racional foi a principal fase de lapidação do ser humano. Essa fase, também conhecida por Segundo Milênio, foi a fase em que a Natureza exerceu seu pleno domínio sobre os viventes através das energias elétrica e magnética, que os tratavam como suas ferramentas e essas faziam tudo como lhes era determinado pelas energias, mas sempre pensando ou imaginando que eram eles os donos e mandatários no comando deles mesmos, de tudo e de todos.

O pensamento e a imaginação são o estado de inconsciência negativa em que o vivente se apresenta. E o Raciocínio é o estado consciente e positivo, parte do equilíbrio verdadeiro, o estado de ser positivo do vivente.

A cultura artificial foi feita para o cultivo do sofrimento na vida do sofredor e a Cultura Racional foi feita para o cultivo do Raciocínio na vida do sofredor. Duas vidas, dois destinos, duas classes: uma que sobe, a Racional e outra que desce, a do animal Racional.

A Natureza também se extinguiria na fase de animal Racional livre-pensador, não fosse sua mudança de fase com a chegada da Fase Racional, a fase do Raciocínio e de seu desenvolvimento na cabeça do vivente, que abriga dentro da Glândula Pineal um Habitante do MUNDO RACIONAL, materializado em forma de máquina do Raciocínio.

Quando o vivente amadurece, a vida para ele perde o sentido, torna-se desinteressante, resume-se num viver por viver por não haver mais interesse naquela espécie de vida. E por não se conhecer, vive sem saber por que existe.

Este é o momento exato para o grande salto avante, o momento dele saber o porquê existe, qual a sua origem,  de onde veio e para onde vai, antes de apodrecer.

São como surfistas aguardando a grande onda que os levará até a praia de areias brancas e cintilantes. Uma onda formada em um mundo muito distante e muito acima, uma onda em forma de um Livro intitulado “Universo em Desencanto” de Cultura Racional.

Pois, só com o desenvolvimento do Raciocínio é que todos poderão reaver o equilíbrio superior ao equilíbrio físico do surfista-pensador; o equilíbrio Racional.

O vivente está sendo destruído pelos efeitos da Onda Magnética, por desconhecer a causa. Se conhecesse a causa não sentiria os efeitos, por que saberia conviver com a situação, por estar ligado à Energia Racional.

A Onda Magnética começou a destruir os remanescentes do segundo milênio, pois na Fase Racional o pensamento não pode prevalecer, e por isso não progride, só regride. Essa a razão da liquidação geral física, moral e financeira. O colapso geral de tudo e de todos por a Onda Magnética ter que entregar a Fase do Raciocínio excluída de pensadores.

Quem vive desconhecido de si mesmo, com o pensamento falido, vive sem ter a quem recorrer e onde se agarrar. Diferente dos que já se conhecem que vivem agarrados ao LIVRO “Universo em Desencanto” e tendo com quem contar no Astral Superior, pela Energia Mediadora Racional, e no MUNDO RACIONAL, pela Energia Racional. Ele é favorecido também pela Natureza em sua nova fase, a Fase Racional, que só favorece aos que com ELA estão e com Ela convivem em total harmonia e consonância.

Esses conhecem as causas de tudo, suas origens e seus efeitos, pois, os que não se conhecem estão ligados ao magnetismo, sendo consumidos e destruídos pela energia magnética.

Os ligados ao magnetismo são os remanescentes da fase do pensamento que se extinguiu. E por estar extinto inaugurou a fase da liquidação, a fase da falência moral, física e financeira. Pensador que tenta pensar com o pensamento falido é um falido também.

É um falido que está se afogando na fase do “salve-se quem puder e se puder” e não pede socorro, por desconhecer o que se passa com sua vida e com a de todos. Não consegue discernir a fase extinta da fase em vigor, que chegou em 1935, por estar sendo engambelado pela ação elusiva do magnético.

Fixa o olhar no firmamento com os olhos abertos e não enxerga nada, nem mesmo as luzes dos Habitantes do MUNDO RACIONAL evoluindo no espaço, chamando a atenção de todos para conhecerem a Fase do desenvolvimento do Raciocínio. Propaganda Racional espacial e terrena também, pois, também se materializam como pessoas humanas na Terra, mas não são reconhecidos pelos sonâmbulos, mortos-vivos do Segundo Milênio.

E o bicho Racional, na classe de animal Racional, não percebe nada disso, devido ao elevado grau de rudeza e atraso em que se encontra. E onde impera a rudeza e o atraso, impera também o embrutecimento e as monstruosidades.

Essa a categoria dos que se desconhecem e desconhecem tudo mais em seu entorno.

Todos dominados pelos engambelos artificiais e naturais que resumem a vida do jeito que julgam como ela é.

Foi em 1935 que o Raciocínio substituiu o pensamento. Estamos em 2019, portanto decorridos 84 anos, e a Racionalização dos povos caminha a passos de tartaruga devido à ignorância da humanidade sobre a mudança de fase ocorrida na Natureza.

É dever dos que passaram a se conhecer, envidar seus melhores esforços na divulgação da Cultura Racional noite e dia, dia e noite, de todas as formas jeitos e maneiras para contribuir com o extermínio da rudez do animal Racional que ainda permanece preso ao pensamento e à imaginação, julgando que ambos são eternos e que a vida na matéria não tem fim: sendo gerados, nascendo, sendo criados, crescendo, amadurecendo e fenecendo para repetir o ciclo indefinidamente, salvo fatalidades e acidentes de percurso.

É o que este Blog procura fazer diariamente.

Parecia que sabiam muito quando não sabiam nada. E hoje, muitos já conhecem a mecânica Racional, a mecânica celeste e a mecânica material, conhecendo e sabendo de princípio a fim tudo nos mínimos detalhes, em todas as formas e maneiras diferentes, com base, com lógica, provas e comprovações.

E assim todos vão pouco a pouco passando a se conhecer, se igualando em seu nível de conhecimento com os mais adiantados, estudando a Cultura Racional nos Livros “Universo em Desencanto” para se desencantarem da categoria de bicho Racional e passarem para a de Aparelho Racional.

Mas, infelizmente há os que continuam a preferir serem bichos, ou mesmo selvagens ou até mesmo monstros, por que todos são diferentes e esses são os rudes que passaram dos limites. Estão vendo o que é a verdade e não a aceitam devido ao seu estado adiantado de rudez, por estarem magnetizados além da conta e o magnético puro é difícil de se deixar desmagnetizar.

Esses perderão a Racionalidade e descerão para classes inferiores dos reinos animal, vegetal e mineral. Na classe inferior vão percorrer todas as hierarquias dos bichos, das plantas e dos minerais que existem na Terra. São tantos bilhões de espécies e espécimes em existência, que só mesmo outras sete eternidades de lapidação, muito mais severas e poderosas, poderão trazer de volta para o MUNDO RACIONAL esses monstros, selvagens e bichos na condição de seres puros, limpos, perfeitos e eternos.

SALVE!

 

 

(*)  Texto em Inglês:

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em AUTOCONHECIMENTO, EDUCAÇÃO E CULTURA, Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para SURFANDO NA MATÉRIA

  1. nalub7 disse:

    Feliz comparação do surfe com a triste realidade de quem navega pela vida sem conhecê-la, sujeito, a qualquer momento ser derrubado e liquidado pela grande onda magnética, que está, neste Terceiro Milênio com a missão de entregar a Fase Racional, do desenvolvimento do raciocínio, livre de pensadores, sofredores e mortais, porque o tempo agora é de evolução para o verdadeiro amor, a verdadeira paz, a verdadeira fraternidade e a concórdia universal, pelo desenvolvimento racional, porque somente o raciocínio UNE e faz a CONCÓRDIA.
    E o pensamento divide e faz a discórdia.
    Parabéns, Gilberto, pela forma brilhante de esclarecimento do SE CONHECER!
    Gratíssimos!
    SALVE!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Mary Sana disse:

    Interessante demais a relação estabelecida do surfe, com nossa DESCIDA do MUNDO RACIONAL e as brutais consequências que sofremos há milênios, vivendo à mercê das ondas (riscos impostos pela fragilidade material)!
    E como é triste o SONO DURO COMO PEDRA, que faz os seres viventes insistirem por longos tempos nas fatalidades. Sim,porque viver sem se conhecer constitui RISCO FATAL.
    Enquanto isso … quem passou a se conhecer, tem pavor de continuar mantendo o primitivismo da civilização do pensamento, responsável pelos açoites à nossa parte animal, encaminhando-nos para a RACIONALIDADE.
    Você lembrou bem Gilberto, a persistência na PROPAGANDA RACIONAL, feita pelos conscientes, ALERTA sobre o perigo que corre todo aquele que apenas pensa e imagina e portanto, não recebe AVISOS, quando as surpresas desagradáveis podem lhe ocorrer.
    Que ao invés de passos de tartaruga, a humanidade procure alçar vôo rumo ao desenvolvimento do Raciocínio enquanto há tempo, porque esse sim, é DEUS CONOSCO, avisando-nos de todos os imprevistos inerentes à vida nesse baixo mundo.

    Curtido por 2 pessoas

  3. José Eliaz Rosa disse:

    O Gilberto Carnasciali foi muito feliz na interpretação “A fase do animal Racional foi a principal fase de lapidação do ser humano”, esta afirmação é tão verdadeira que no dia a dia podemos observar o quanto a humanidade está se lapidando. A medida que avança o desenvolvimento tecnológico, surgem novos artifícios, portanto novos instrumentos de lapidação e os nossos irmãos pensadores, não têm noção de que esses novos artifícios são todos para fazê-lo sofrer. Observem a felicidade momentânea proporcionada por um novo aparelho, um novo processo fabril, e ou uma nova ferramenta quando chega ao alcance dos seres humanos, incapazes de perceber que a fase do pensamento acabou, mal ele sabe que a sua destruição está a caminho, porém se contenta com a felicidade momentânea e sequer da atenção a um estudante do livro Universo em Desencanto, quando o aborda para informá-lo que a Natureza mudou de fase e estamos em uma nova era e temos que desenvolver o Raciocínio. Nós estudantes também somos afetados por essa corrida desenfreada do desenvolvimento tecnológico, por que como estamos inseridos nesse campo elétrico e magnético, por maior esforço que fazemos não conseguimos desvencilhar destas amarras, porém com o conhecimento e o desenvolvimento do raciocínio temos conseguido minimizar a nossa lapidação.

    Curtido por 1 pessoa

    • nalub7 disse:

      Excelentes suas colocações, José Eliaz! Quantas provas e comprovações temos do que deixamos de sofrer devido às orientações do nosso raciocínio que já está em franco desenvolvimento! Todos temos tantas, que nem mais damos conta de relatar todas, mesmo porque a maioria não acreditaria, tal é a grandeza dos benefícios que recebemos, que a mente de um pensador nem alcança!
      Vamos encaminhar seu comentário ao Gilberto para que venha aqui tomar conhecimento do seu comentário e dos demais, que enriquecem sobremaneira a sagrada divulgação da VERDADE das Verdades, divulgação essa que tem tirado milhões de pessoas da autodestruição, porque quem pensa de forma variante, sem o crivo do raciocínio, é um destruidor de si mesmo.
      Gratíssimos! Seja sempre muito bem-vindo!

      Curtir

    • Gilberto Carnasciali disse:

      Certamente José Elias, sem contar com a lapidação do surfista no primeiro milênio que é a fase do nadar contra a arrebentação e aguardar a melhor onda.
      Seus comentários são muito benvindos.

      Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s