O ABUSADO NÃO RECONHECE DIREITOS

Capa do Livro UD EM PORTUGUËS

 

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdMk84cmU5V1ktU1U  (Clique no link para ouvir o áudio)

download1

OLÁ, minha gente, tomara possamos nos reunir todas e todos aqui, mais uma vez, pois nós já estávamos ansiosos pra repassar a vocês a seqüência deste assunto até aqui desenvolvido, tomando como referência os Livros “Universo em Desencanto”.


Hoje sabemos, pela Cultura Racional, dos movimentos sócio-culturais das civilizações do passado longínquo, onde foram realizados grandes prodígios, edificados ao longo da evolução cultural humana. Um processo de sucessivas transformações de tudo, acarretou o nosso enfraquecimento e poluição, que são as marcas deixadas por uma longa trajetória evolutiva inconsciente, durante os inúmeros períodos de desenvolvimento antropológico a que fomos submetidos, para que viéssemos nos lapidando.


Este mesmo mundo já sofreu profundas transformações de ordem biofísica, que se refletiram diretamente sobre a nossa espécie.


Já passou a humanidade por várias etapas de desenvolvimento: pela fase de monstros, de gigantes, pela fase em que éramos todos selvagens, pelos tempos das pedras, furnas, locas de pedras e cavernas e outras tantas transformações, inclusive orgânicas.
Tivemos fase de durar cem anos, quinhentos anos a mais.

E, assim, viemos nos lapidando, ficando munidos das bagagens: biológica, psicológica e sócio-cultural. Mas, é de suma importância que compreendamos que, em todas as etapas da trajetória humana neste Mundo, nunca dantes soubemos o rumo definitivo a tomar. Nunca soubemos: quem somos, de onde viemos e para onde vamos.


Nunca nos foi dado saber o que éramos antes disso que somos. Não falamos aqui de nossas diferenças infindáveis, mas, do que há de mais comum entre nós: NOSSA VERDADEIRA ORIGEM, que é uma só, é RACIONAL.


Então, cada etapa, uma longa eternidade. Cada eternidade, uma longa trajetória de transformações nesta natureza em deformação e degeneração.


O fator agravante: perdemos o tino do antes de ser e da razão de sermos isso que somos. Ficamos todos desconhecidos de nós mesmos, porque houve uma transformação de corpo de vida, da vida de origem ou raça Racional, esta vida de Racional inferior, porquanto degenerado como animal.


O fator atenuante: somos animais que temos raciocínio, que é o nosso vínculo com o Mundo Racional, de onde viemos.


E o que é Racional não desvirtua do seu Ser. E tudo tem o seu dia, o seu tempo e a sua época. Dependia apenas de que chegasse, por evolução natural da Natureza, esta Fase da Racionalização, que é a Fase da Verdadeira Ressurreição da Humanidade.


Todos conhecendo o MUNDO de nossa raça e sabendo como voltar para ele.
A Racionalização é a Fase da remissão das inconsciências.

Isto posto, vamos retornar a preciosa narrativa do Racional Superior, justificando a paradoxal existência, concomitante, de Deus e de sofrimento e morte.

 

 RESUMO DA 8ª E 22ª MENSAGEM DO 5º VOL. DA RÉPLICA, UNIVERSO EM DESENCANTO

O abusado não reconhece direitos. Trocou de Alfabeto e foi o que deu motivo e causa da ligação errada. Sim, porque estavam ligados à Astrologia, ao Plano Mediador Racional, porque estavam ligados ao Astral Superior.

Estavam na metade da volta de todos para o seu Mundo de Origem, porque estavam ligados a toda conjuntura Astrológica.
E, por trocarem o Alfabeto, trocaram a ligação, ficou a humanidade ligada ao conjunto elétrico e magnético.

Por quê?

Devido à criação daquele novo Alfabeto articulado pelos que não queriam respeitar nem obedecer ao Alfabeto de Astrologia.

Como saíram do certo para o errado?

Os motivos: dar expansão às suas vontades. A vontade não os deixava perceber, porque julgavam que satisfazendo suas vontades, estavam certos.

Para ver que tudo vem errado desde os primórdios. Entraram no progresso errado, articulador da dor, por ser um progresso artificial, fora do natural, progredindo somente o mal.

Em resumo: a causa é esta, do progresso material, a ligação daquele novo ciclo de gerações neste conjunto elétrico e magnético.

Então, já vêm todos errados do princípio da formação deste ciclo. Aí está, porque ninguém nunca foi culpado do sofrimento de ninguém, por tudo vir errado desde o princípio, desde os acontecimentos primórdios. Não havia coação de liberdade.

De que modo saíram do certo para o errado? Não foi de um modo precipitado, nem abrupto, nem chocante. Uns tantos e, não todos, não se conformavam em regerem-se somente com aquele limitado alfabeto do mapa da vida em suas mãos.

Propuseram-se a mudar os desígnios para o livre arbítrio, do qual vieram abusando, excedendo de pouco em pouco, indo além do limite. Eram chamados à atenção e não se davam conta, ou pouca atenção davam.

Até hoje é a mesma coisa. A pessoa vai errada. É chamada à atenção, recebe bom conselho, e não quer admitir e, sim, continuar o erro. Sabendo que está errada, mas prefere o erro do que o certo. Expandir seus gostos e vontades, é o que conta. Hoje que são imperfeitos, cheios de defeitos, a Natureza não coage ninguém! Que fará naqueles primórdios, que eram mais puros?!

O que a Natureza fazia?

Plantava visíveis limites em cada qual de seus feitos de raça Racional. Mas, uns tantos subverteram a ordem natural da Natureza, optando pelo progresso artificial. E, assim, foi que houve a ligação errada. E por ser errada, a humanidade – na troca de energia – entrou em curto e veio piorando, mas, parecendo que era tudo naturalmente.

Por quê? Porque o ser humano é de origem Racional e a energia verdadeira natural do seu Ser é a Energia Racional.

Na troca do alfabeto houve a troca de energia, dando origem ao desequilíbrio de um modo geral, hoje abrangendo a todas as esferas de ação sócio-cultural humana: mental, física, moral, financeira, que uns tantos disseminaram desde lá detrás dos tempos. E, hoje, as ruínas assombrosamente multiplicando-se, envolvendo a humanidade, por meio do progresso da degeneração e poluição.

De quem é a culpa de existir sofrimento?

Por viverem todos, no Mundo, fora do natural, por viverem artificialmente, todos sofrem. Cada qual de um jeito, de seu modo. Então, ninguém é culpado do sofrimento de ninguém.

A raiz sócio-cultural do sofrimento é primitiva. Se culpados os há, foram os inventores do Alfabeto artificial.

Para ver que não há motivo, não há razão de culparem uns aos outros do sofrimento da humanidade.

Muitos vendo esta narrativa, questionando:

-“Balela! Eu nunca soube disso!” De fato, nunca ninguém lhe contou. O fim das civilizações primitivas foi e é uma das causas do desconhecimento do passado de outras épocas. Demorou, e muito, para que mais tarde um novo ciclo de gerações se sucedendo, uma daquelas novas gerações desfrutando de novos entendimentos, viessem a encontrar os escombros e vestígios de civilizações extintas. Investigando o achado, pela curiosidade, vieram inventando nomes no que encontravam nos escombros.

Daquela herança dos extintos, brotou a formação de um novo entendimento, um novo modo de se compreenderem e de se entenderem para poderem viver.

Tudo a muito custo, por virem se aperfeiçoando, para um melhor entendimento entre todos. Tudo vagaroso, imaginando o que podia ser cada achado. Tudo era feito com extrema calma, através do tempos. Endireita daqui, dali, tudo sendo lapidado e deu nesse conteúdo romanesco do latim, do grego e do hebraico.

E olha que não eram os tempos avançados do pensamento já desenvolvido de hoje. Eram quase que umas feras indomáveis. Eram Seres de uma compleição enorme, gigantes mesmo. Ninguém sabia falar, não havia entendimento, o sentimento era de feras. Até que dissessem, malmente, meia dúzia de palavras…!

A humanidade, no entanto, por não conhecer aquele passado, sempre responsabilizou Deus por todos os crimes e todas as monstruosidades praticadas por si mesma.

E este é um resumo em que Deus dá uma satisfação ao Mundo de que Ele não é o culpado do sofrimento do povo e de quem é a culpa.

Todo conteúdo completo deste assunto é encontrado nos Livros Universo em Desencanto, de Cultura Racional.

Bem, convidamos vocês para mais um bate papo Racional, ainda sobre este Tema do Mapa de Astrologia, amanhã, quando daremos destaque há algumas passagens relevantes de nossa trajetória sócio-cultural.

Contamos com sua prestigiosa atenção.

 

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

2 respostas para O ABUSADO NÃO RECONHECE DIREITOS

  1. Cristiane disse:

    Minha Querida Irmã Nágea:
    No fluxo da essência que me move a expandir o sentimento mais doce,desejo a você e a sua família,uma FELIZ PÁSCOA!!!!!!!!!!Que o Universo junto a seus Anjos e Espíritos Luminosos, engrandeçam cada etapa norteada pelo renascimento.
    Beijos e abraços a todos.
    Com Ternura da SEMPRE AMIGA,
    Cris

    Curtir

  2. deise lucidi disse:

    Querida amiga  hoje passei por aqui para deixar essa mensagem e te agradecer por você ter me mostrado oque realmente é felicidade, antes era triste mas achava que era perfeita me sentia angustiada e não sabia porque, hoje tenho a certeza que encontrei a paz, a paz racional , essa energia que mudou minha casa, minha familia.Hoje sei da onde vim para onde vou e porque aqui estou graças ao livro O Universo em Desencanto que um dia através de um computador você me convenceu a ler,não acreditava mas quis ser gentil e comprei o livro,dai então não parei de ler até hoje já estou no historico e quanto mais leio mais quero ler porque cada vez que leio uma mensagem do Racional Superior é como se eu me purificasse cada vez mais,na humildade,na simplicidade,deixando de lado o orgulho que antes achava que era a minha maior qualidade,desejo do fundo do meu coração, que todos os irmãos alcance a paz racional um beijo bem grande Deise.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s