O EXCESSO DO LIVRE ARBÍTRIO

CACHOEIRA

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdVC1zd3ZFb0EwVVU  (Clique no link para ouvir o áudio) 
download1

(RACIONAL SUPERIOR)

A pátria e o mundo evoluíram, progrediram demais e tudo que é demais, prejudica e é o que está no mundo inteiro.
A evolução foi de tal maneira, tão grande, demasiadamente, que passou a prejudicar.
Que tudo demais prejudica, tudo demais faz mal.
E estão sofrendo as consequências da demasiada evolução e do progresso.
Atingiu demasiadamente, tão grande, que está desmoronando tudo por cima da humanidade, quer dizer que o progresso da evolução passou dos limites, porque tudo tem limite.
Passando do limite, há o desequilíbrio, há o transtorno, há o desentendimento, prejudica e foi o que se deu, pelo abuso do livre arbítrio e da expansão da vontade.
Tudo que passa do limite, cai no ridículo.
E de forma, que ninguém está aguentando o peso da vida.
O peso é demais, não há força que aguente.
O peso demais, não há quem aguente.
É o que está se dando no mundo inteiro, porque tudo tem limite.
E o progresso e a evolução passaram do limite, pesando o que passou em cima da humanidade.
E, aí, passando do limite, não há quem aguente. E não havendo quem aguente, há a multiplicação dos transtornos e do desequilíbrio.
Quanto mais fazem para endireitar, mais tudo se desenrola ao contrário, porque passou do limite.
Até um limite, tudo suportável. Passou do limite, tudo insuportável.
Passou do limite é excesso e o excesso prejudica.
No excesso está a ganância demais, a ambição demais, a vaidade demais. E tudo demais faz mal.
E tudo demais prejudica.
E, assim, há muito no mundo inteiro, é como estão vendo o que tem se passado e o que se passa, a ponto de chegarem ao desequilíbrio tão grande, de não darem mais valor à vida.
O desequilíbrio foi tanto, que perderam o amor à vida e dão mais valor aos seus ideais, à sua ganância, à sua ambição, à sua vaidade, do que à vida.
A vida se tornou uma coisa sem valor e, por isso, se expõe a todos os perigos e riscos de vida. Trocam a vida pelos ideais e perdem a vida pelos ideais, pela ambição e pela ganância.
Tudo isto levou o povo à loucura, devido a evolução do progresso passar dos limites.
Dentro do limite, tudo mais ou menos bom.
Passou do limite, passou a prejudicar.
E é este pesadelo que é o infortúnio causador do desequilíbrio da humanidade.
O desequilíbrio chegando a tal ponto, que ninguém tem sossego e, daí, os desentendimentos, a angústia reinante, reinando sobre todos, porque o progresso passou dos limites.
Dentro do limite, tudo correndo mais ou menos certo. E fora do limite, completamente diferente.
O limite, por exemplo:
A pessoa pode com uma tonelada, dentro do limite.
Agora, passando do limite, cinquenta toneladas a mais, não pode.
O que acontece?
Por não poder, é esmagado pelas toneladas que passaram do limite.
E é por isso que o desassossego do mundo inteiro se multiplica; as confusões, as ruínas, os crimes, porque tudo que passa dos limites, não há quem aguente, passa mal.
É o caso existente no mundo inteiro, que causou este furacão no mundo inteiro e a vida se tornou deplorável, sem garantia e, por isso, está aí essa situação calamitosa de salve-se quem puder no mundo inteiro, porque o progresso evoluiu demais.
Avançou os limites e, daí, a causa do descontrole de tudo.
Portanto, ninguém é culpado desta situação universal.
A culpa é a inexperiência, a vontade de todos progredirem para melhorar e quanto mais progridem para melhorar, mais tudo ao contrário, piorando sempre, como aí está provado, um progresso que veio vindo a regresso. E aí estão as provas: a liquidação moral, financeira e física.
Tudo isto, por passarem do limite, porque tudo tem limite.
Passou do limite, não há quem aguente, devido os excessos absurdos.
E assim está o mundo, numa convulsão generalizada pelo excesso de um progresso que passou dos limites e veio vindo a REGRESSO, por passar dos limites.
Agora, quem não conhece a causa, começa a botar culpa uns nos outros.
Ninguém é culpado do sofrimento da humanidade, universalmente.
É que passaram do limite, pensando – que progredindo de todas as formas, de todos os jeitos e de todas as maneiras – ia tudo acertar.
E ficou na vontade de acertar.
Portanto, ninguém é culpado do mundo inteiro estar sofrendo as conseqüências do livre arbítrio.
Todos os países passando pelos seus transes, bem desagradáveis, e a causa é o limite e mais ninguém.
Passaram do limite e perderam as estribeiras. E, HOJE, TODOS QUEREM CONSERTAR E NÃO SABEM COMO CONSERTAR, devido o abuso do livre arbítrio e da livre expansão da vontade.
Criaram esse panteon de ruínas para si mesmo.
As ruínas chegaram a tal ponto e, daí, nasceu a descrença e o descrédito.
De um modo geral, ninguém acredita em ninguém.
Ninguém tem confiança em ninguém.
Na mesma hora que confiam, na mesma hora desconfiam.
Descrença geral de tudo.
O povo mergulhou nas trevas, na escuridão e ficou num beco sem saída.
O que vamos fazer para endireitar o mundo?
Um diz:
“Ninguém sabe como fazer para endireitar o mundo.”
Outro, já diz:
Ah, isto não tem mais conserto!”
Esses são os que já estão desanimados de tudo, não acreditam em mais nada, não acreditam em mais ninguém.
Tanto faz viver, como não. É a mesma coisa.
Se morrer está bom.
Se viver, também.
Então, dizendo uns para os outros:
“Não há mais sentido de se viver, a vida perdeu o sentido.
Viver só para sofrer?
Sofrer, sofrer, penar, penar, o que adianta?
O que adianta uma vida nestas condições?
Não adianta nada.
Só se vê ruínas, por todos os lados.
Viver dessa maneira é um desprazer.
Não há gosto de viver.”
Muitos completamente desanimados, chegando a está conclusão, desesperados.
Desesperados por não ter onde se agarrar, nem com quem contar.
Então, diz:
“No passado todos tinham gosto e prazer de viver.”
Era quando não tinham passado dos limites.
A vida era calma, tranquila e boa, as famílias eram unidas e a vida corria bem para todos. E viviam todos tranquilos, em paz.
E, hoje, completamente ao contrário.
Todos vivendo com medo.
Com medo de tudo.
Em todo o lugar está com medo.
Acabou o sossego, acabou a paz, porque passaram dos limites.
Enquanto estavam dentro dos limites, a vida era boa, havia mais paz e tranqüilidade.
E mais felicidade.
Passou dos limites, arruinou tudo.
Então, ninguém é culpado do sofrimento de ninguém.
É uma evolução criada pela euforia do livre arbítrio.
Todos eufóricos para fazer o melhor, na esperança sempre do melhor.
E tudo ao contrário, por terem passado do limite.
O limite é aquilo que é certo e direito, para que viva certo e direito.
E quem vive certo, vive acomodado. E quem vive direito, vive sossegado.
Mas, passaram dos limites e, daí, o desassossego e o infortúnio da humanidade.
***
 
No raciocínio está o limite perfeito para acertarmos em tudo na vida. Desenvolva seu raciocínio lendo, relendo, estudando e reestudando os livros do Racional Superior, Universo em Desencanto, livros de Cultura Racional.
 
 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para O EXCESSO DO LIVRE ARBÍTRIO

  1. Renato José disse:

    Oi Nágea, ainda não li a mensagem, mas vou ler. Olha, vc falou de foto? Eu não coloquei foto nenhuma. Eu não sou casado e nem tenho filhos. Outra coisa. é que está havendo uma falha no seu msn aqui. Eu vou fazer o seguinte. Vou excluir vc aqui e vc me adiciona no seu msn. Já fiz isso com outros amigos meus e deu certo, quando há essas falhas. Correto? Como já disse voltarei sempre ao seu espaço e em outro momento, se vc quiser, contarei as maravilhas da Obra de Deus na minha vida.
    Assim que puder mandarei na íntegra a estória do barbeiro. Parece-me que é verídica, mas até isso eu posso verificar. A irmã que me passou deve saber.
    Obrigado pela sua atenção e sempre que quiser pode visitar meu espaço. Ali sempre há mensagens valorosas e acredite, nada copiado. Tudo da minha mente. São coisas simples, mas essas que são as mais belas.
    Um abraço e até a próxima.
    Renato José Jardim Borba.
    Porto Canoa – Serra – ES

    Curtir

  2. Renato José disse:

    Oi Nágea, tudo bem?
    Ufa! Até que enfim vou conseguir comentar seu texto.
    O progresso em excesso é prejudicial, mas a falta dele é ruim. É preciso haver mesmo o equilíbrio.
    Há muitos anos atrás eu ouvi uma frase muito interessante que dizia mais ou menos o seguinte: progresso é qualquer invento cientifico, tecnológico ou de qualquer outra ordem, que seja beneficente à vida na terra. Do contrário, não é progresso. Por exemplo: a descoberta de uma vacina; progresso. A invenção da bomba atõmica, regresso.
    Mas, todas as coisas têm o seu lado bom e o seu lado mau. Por exemplo: estamos usando um meio de comunicação que até alguns anos atrás jamais imaginávamos que seria possível. Agora mesmo, estou conversando no msn com minha sobrinha daqui do bairro vizinho e com um amigo do Paraná. Isso há poucos anos atrás seria impossível. A Internete é boa? Depende da mente que a está usando. Há pessoas que, infelizmente a usam para o mal. Mas, ela em si não é má. É como uma faca de cozinha nas mãos de uma dona de casa, é uma maravilha. Agora, imagina essa mesma faca nas mãos de uma criança; quanto desastre! A boa utilidade das coisas é que faz a diferença. Vc entende assim?
    Ah! Vc me surpreendeu quando disse que o senhor Manoel gostava dos evangélicos. É porque os estudantes da CR que conheci não eram muito simpáticos ao povo evangélico. O Luciano, mesmo, de quem já lhe falei, era meu colega de aula. Um dia eu o convidei para ir á igreja, para fazer uma visita. Então, ele me respondeu assim: não vou perder meu tempo. Conversei com outros e eles desconversavam. O único que me disse que de vez em quando visitava uma igreja evangélica era o sr Jair Cruz. Ele me disse que gostava. Um homem simples, parecia de pouca leitura, mas sábio. A fala dele, se vc o conheceu vc sabe. A fala dele lembra a do senhor Manoel jacinto Coelho. Surpresa!
    Mais tarde e explico.
    Por ora, quero terminar minha reflexaão. Entendo certa rejeição de grupos não-evangélicos aos evangélicos. É que os evangélicos fazem muita represalha; fecham-se e rejeitam outros grupos, querendo que a verdade esteja só com eles. Nós que somos pregadores nas igrejas estamos orando a Deus para que esta mentalidade mude. E já temos alcançado muito progresso. Eu não sei fazer isso. Eu não sei discriminar. É verdade que sou firme naquilo que eu creio, mas posso falar do que creio sem ferir ninguém, concorda. Não sei se o senhor Manoel tinha contato com os evangélicos, mas quanto mais se volta no tempo, mais rígidas são as igrejas. Ele deve ter pegado o tempo dos quebra-santos. Isso prejudicou muito o trabalho dos evangélicos sérios, que sabem respeitar as pessoas.
    Acho que falei demais. Vou ficando por aqui. Até a próxima e fica com Deus.

    Curtir

  3. Renato José disse:

    É engraçado! Eu pareci dar a entender que conheci pessoalmente o sernhor Manoel, mas não é bem assim. Foi o caso que um dia o senhor Jair, de quem já lhe falei, me convidou para ir à sua casa para ouvir uma fita cassete com uma entrevista que foi feita com ele na Band, a fita estava ruim, mas deu para ouvir muita coisa. Eu achei a voz dele igual à do senhor jair. Comentei isso com o Luciano. Ele concordou comigo. Não tivemos coragem de dizer isto ao senhor Jaiir. O senhor Jair era uma pessa, (não sei se ainda vive) de poucas palavras, mas sabia orientar os estudantes de maneira sávia. De vez em quando eu ia visitá-lo. Ia com o Luciano. Mas, outras vezes ia só. Fiz-me amigo dele. Ele me segredava muitas coisas a respeito dos meninos. Eles eram na maioria entre 15 e 18 anos. Ele dizia que confiava em mim sabendo que eu saberia guardar segredo. Não eram coisas más que ele falava. Era algumas afoitices deles. O Luciano, por exemplo, praticou uma coisa muito séria, segundo fiquei sabendo. Um grupo estava fazendo a divulgação num bairro e uma senhora perguntou se existia um lucal de encontro, como um templo, como numa igreja. Eles disseram que não. Então, ela se alterou e disse: Ah! Mas devia ter. as igrejas têm. Ele, o Luciano falou pra ela: a senhora não sabe de nada, não tem que dar palpite. Eu falei que ele precisava ser orientado, pois isto é falta de sabedoria. Ele era um menino muito sério e muito fechado. Na escola, eu era o único evangélico e era o único que ele procurava para conversar. Começava o recreio e nós saíamos juntos da sala e íamos sentar num banco, no pátio e ficávamos conversando sobre diversos assuntos, todos voltados para a CR e para a Bíblia.
    Uma vez eu citei para ele um trecho da Bíblia que ele gostou muito diz o seguinte: "Rogo-vos irmãos pela compaixão de Deus que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo a Deus, que é o vosso culto racional e não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12:1 e 2).
    Ele dise que era muito interessante este texto. Então, comecei a falar das virtudes de Jesus, ele me ouvia, ora fazia comentários, de alguns eu discordava, com outros eu concordava. Ele concordava com algumas coisa que eu dizia e discordava de outras. Ele não tinha outros amigos na escola. Alguns diziam que ele era mal-educado, que tinha ficado fanático pela Cultura Racional e não ligava para nada mais. Uma professora um dia perguntou sobre ele e todos diziam que o único amigo dele na classe era eu. E começaram a falar sobre ele. a profesora pediu que todos se calassem, ele tinha faltado nesse dia. Não sei porque. Ela disse que ele precisava de ajuda. Ela dise assim: quando alguém se isola no grupo, precisa ser ajudado; tem outros aque na mesma situação. Vamos ajudá-los.
    De fato, sempre que há alguém num grupo que faço parte, e que é isolado, eu procuro me aproximar exatamente deste. Sei que é o mais necesitado. O problema do Luciano era que ele precisava de alguém que lhe desse atençao para ele falar sobre a CR. Era o assunto preferido dele. Até onde ele tinha chegado, ele tinha desenvolvido muito  bem, mas faltava a ele o modo como aplicar este conhecimento no relacionamento dele com as pessoas.
    Bem, vou ficando por aqui, senão acabo escrevendo um livro. rs.
    Vou indo, fica com Deus e que a Grande Luz do Senhor te acompanhe.
     
    Um abraço e até a próxima.
    Renato José jardim Borba.
    Serra – Grande Vitória – ES

    Curtir

  4. Renato José disse:

    Oi Nágea,
    Sou eu mais uma vez.
    Ainda não são as minhas experiências prometidas, mas um breve comentário.
    A minha família não tinha uma igreja definida, mas gostávamos sempre das igrejas evangélicas. Quando eu passava por uma casa ou por uma igreja que ouvia cantar um hino, ficava maravilhado.
    Quando estava beirando os 13 anos fui com minha mãe à Igreja Batista. Ali eu me defini, fui batizado e atuei em várias atividades durante 17 anos. Estive ali de 1977-1994.
    com o passar do tempo, muitas coisas foram acontecendo em minha vida. Em 1988 fui morar em Congonhas, MG. Ali tive contato com estudantes da CR, como já havia falado. Inclusive li o primeiro volume do livro Universo em Desencanto, que achei muito interessante. Porém, não dei seqüência.
    Em 1994 afastei-me da Igreja Batista e fui reunir em outra comuidade também evangélica. Tormei-me membro da Igreja Cristã Maranata. Não houve nenhuma forma de problema entre mim e os irmãos batistas; a questão era doutrinária, pois a direção das Igrejas Batistas não aceita certas manifestações evidentes em igrejas pentecostais, como a Assembéia de Deus, por exemplo.
    A ICM é uma igreja pentecostal. Estas manifestações são vividas nela com muita sabedoria e discernimento. Estou lá há 13 anos e sei do que estou falando. Inclusive eu tenho esses dons, melhor dizendo, o Senhor me usa neles.
    E, por incrivel que pareça, uma das coisas que contribuíram para eu ir para a ICM foi o meu pequeno contato com a CR.
    Agora um esclarecimento que vc até já deve saber: a palavra "Maranata" significa O Senhor Vem.
    Refere-se à vinda de Cristo. Para nós isto é uma certeza que temos.
    Temos divulgação em todo o mundo e outros grupos têm buscado, para a glória de Deus, a nossa orientação.
    Vc já sabe que eu não faço discriminação religiosa e esta atitude eu apreni na própria ICM. Esta Igreja tem como base os ensinamentos bíblicos, vistos de uma forma sensata, sábia, respeitosa a outros grupos e também mostrando as verdades de forma simples e claras.
    Disse que seria breve no meu relato e acabo escrevendo novamente um livro.
    Vou ficando por aqui. Até a próxima. Virei outras vezes ao seu espaço e vc já sabe que pode visitar o meu e deixar seus comentários.
    Renato José Jardim Borba

    Curtir

  5. Renato José disse:

    Oi Nágea, td bem?
    Ainda não consegui a mensagem com a estória do barbeiro. Ontem eu conversei aqui no msn com apessoa que me mandou. Ela me dise que infelizmente não poderia me mandar naquela hora, pois como ficou muito tempo sem acesar seu e-mail, ele foi desativado. quando reativa perde tudo que está nele.
    Mas ela me disse que vai entrar em contato quem alguém que possa tê-la. Vc sumiu, não colocou mais reflexões no seu espaço Mas, tudo bem.
    vou ficando por aqui até a próxima.
    Atenciosamente,
    Renato josé jardim Borba.

    Curtir

  6. Renato José disse:

    Olá, Nágea, perdoe-me não ter ainda mandado a estória do barbeiro ateu. Mas, embora eu não a tivesse por completo escrito, aminha memória reproduziu com muita fidelidade este estória. Estou aguardando uma resposta da pesoa que me mandou. Assim que ela me enviar eu mandarei sem falta, ou aqui no seu espaço ou lá no seu e-mail, como vc prederir. Desculpe a falha.
     

    Curtir

  7. Lisarbe disse:

    Salve Nágea!
    Quanto tempo…nem sei ao certo o que me trouxe até aqui, para encontrá-la, mas é algo poderoso. Talvez o sonho que tive esta noite em que eu a havia encontrado. Nunca me passou pela mente esbarrar com vc por este ambiente virtual, mas olha só…são tantos caminhos. Bem, vou me apresentar, nessas alturas deve pensar que uma louca está a escrever coisas desconexas em seu blog. Sou estudante de Cultura Racional, na verdade vc me conheceu quando eu ainda era pequena. Talvez se lembre de meus pais, Laura e Luiz, de Minas e dos bons tempos de sabatina. Talvez se lembre dos tempos do Retiro Racional, a colaboração, vimos de perto a partida do Pai e as tantas pedras no caminho. Acho que se lembra. Meus pais estão bem, eu me formei e sigo em frente.
    Bom, há a possibilidade de eu a estar confundindo com outra pessoa, coincidências existem, mesmo os homônimos…de qualquer forma, deixo meu email, se desejar contato.
    Mas algo me faz acreditar que é mesmo vc e portanto, dizer que fico feliz por estar na ativa.
    Abraços,
    Daniela

    Curtir

  8. Lisarbe disse:

    Oooops…faltou o email: dani_this@hotmail.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s