A PONTE

Capa do Livro UD EM PORTUGUËS

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdTFdIRWhVWmh2R2s  (Clique no link para ouvir o áudio)

BAIXAR AUDIO

(Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira, RJ)

(*)

OBRA-DE-ARTE OU ELO DE LIGAÇÃO RACIONAL?

 

Uma ponte pode ser definida como uma superfície construída em ferro, aço, madeira, pedra ou outros materiais, ligando dois pontos separados por um vale, um curso d´água, um braço de mar ou qualquer outra situação topográfica análoga, para permitir o deslocamento de veículos e transeuntes de uma extremidade a outra.

Há uma variedade de tipos de pontes construídas, desde as mais primitivas, em bambu e tijolos, por exemplo, até as de concreto e aço. Variam nas formas, mas têm a mesma finalidade: permitir que obstáculos sejam transpostos com segurança e sem maiores retardos no trajeto. Pontes são denominadas pela engenharia aqui na matéria de Obras-de-Arte e, como bem diz o nome, obras artificiais feitas por artistas livre-pensadores que vivem em um mundo de aparências.

O vivente quando aqui nasce na matéria, já encontra tudo feito e pronto, cabendo a ele decidir o que aceita e o que não aceita daquilo que materialmente existe, e o que fará para transformar o que já está implantado pela Natureza. Entretanto, como não consegue enxergar além, já que há um muro invisível que circunda esse complexo físico, todas as soluções que encontra são de ordem material que resultam em nada, ou seja, tudo permanece no mesmo; sempre pensando, imaginando e sofrendo, porque se desconhece, não sabe de onde veio muito menos para onde vai, um estranho a tudo e a todos, peregrino entre dois mundos.

Essa é a essência da existência do vivente na matéria: nasce em algum ponto numa extremidade, passa todo o seu tempo de vida na travessia para morrer na outra extremidade. E assim caminha a humanidade, nascendo, transitando, sofrendo e morrendo em cima de um elemento passageiro de ligação entre dois pontos: a vida e a morte.

E nada é garantido nesse mundo de matéria comandado pelas energias elétrica e magnética. Qualquer elemento da Natureza, como abalos telúricos, doenças epidêmicas ou a ação dos próprios homens se destruindo uns aos outros, agindo como feras fanatizadas pela matéria, por exemplo, pode destruir essa frágil estrutura, que é a vida do vivente, em poucos segundos, sem qualquer aviso prévio. Fato este que contrasta vividamente com os inúmeros avisos (prévios) que nos foram dados por nosso Pai quando éramos eternos e utilizamos indevidamente a nossa vontade e livre arbítrio, adentrando uma parte da planície que não estava pronta para progredir, vindo parar aqui neste muro de lamentações.

Por isso mesmo, é necessário e urgente que cada qual, de imediato e por si mesmo, inicie a construção de uma nova ponte, porém com seus alicerces apoiados na base e na lógica da Energia Racional, para que possa ser conduzido em segurança deste segundo mundo que habitamos ao primeiro mundo de onde viemos há 21 eternidades. E para isso não necessitamos de engenheiros, projetistas, operários, calculistas, concreto e ferragens. Nosso projeto é muito mais simples e elevado, por ser um projeto que vem do Alto, do MUNDO RACIONAL. Basta ler o Manual de Instruções que descreve em detalhe e com fidelidade como construir esse elemento de ligação com nosso Mundo de Origem. Trata-se da Escrituração UNIVERSO EM DESENCANTO, ditada por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, ao Senhor Manoel Jacintho Coelho, seu representante na Terra e impresso no Retiro Racional, que trás em seu conteúdo, a planta, o mapa e a bússola para orientar nossa libertação deste chão de matéria poluído e decadente e a decorrente transição através do espaço cósmico de volta ao Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.

A lapidação aqui na matéria sempre foi cruel e dolorosa a ponto de só mesmo o próprio vivente poder defini-la sem, contudo, entendê-la. Muitos chegaram ao ponto de não suportá-la desistindo de sua própria existência. Foram muitas eternidades de progresso regressivo desde a extinção de nossos corpos puros, limpos e perfeitos em cima da resina e da goma, respectivamente terra e água. Dessa forma o processo de materialização iniciou-se no primeiro milênio pela fase de monstros, depois de selvagens e em seguida de animais de origem Racional, que foi a fase do segundo milênio quando a dura realidade se apresentou ao vivente com o desenvolvimento do pensamento e do sentimento. Fase em que a dona do pensamento, a Natureza, passou a nos utilizar como suas ferramentas de lapidação e as energias elétrica e magnética como seus instrumentos, única forma de diminuir de algum modo o estado de rudeza, brutalidade, atraso e ferocidade do bicho Racional, através do sofrimento físico moral e financeiro.

Pensavam esses viventes que o pensamento era propriedade exclusiva deles, que os empreendimentos, as invenções e os descobrimentos eram criados por eles mesmos através de seus pensamentos, acreditando que detinham o domínio dos direitos autorais, ou marca registrada do produto por eles imaginado e concebido; enfim, julgavam-se donos do mundo. Entretanto, em 1935, o Comando Supremo Racional extinguiu a fase do pensamento substituindo-a pela Fase do Raciocínio e os livre-pensadores, enredados na balburdia e na confusão resultante do desequilíbrio causado pelo enfraquecimento do pensamento e do sentimento, não sentiram nem foram capazes de perceber a chegada dessa nova fase, a Fase Racional do desenvolvimento do Raciocínio, à qual também se integrou a Natureza.  

A Natureza por sua vez, seguindo Orientação Superior e cumprindo dever de ofício, cessou de alimentar energeticamente o pensamento que definhou e secou. Com a ausência do pensamento para orientar o animal Racional, o sentimento também se extinguiu, o que causou a regressão do comportamento de uns tantos ao seu passado de monstros e selvagens, prevalecendo a brutalidade, a selvageria e a criminalidade. Progresso regressivo significa magnetismo no comando, e em consequência, o fim da ponderação, do respeito à vida humana e do amor ao próximo.  Um retorno ao curso primário.

Sendo a Fase Racional a derradeira aqui na Terra, ou seja, a última oportunidade oferecida pelo RACIONAL SUPERIOR ao vivente desobediente para sua salvação, está mais do que na hora de aprendermos cada qual a construir a sua própria ponte, já que é algo que um não pode fazer pelo outro, para nos ligarmos ao nosso Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL. A realidade que a maioria ainda não percebeu, é que a ponte de matéria liga o nada à coisa nenhuma e a Ponte Racional liga este segundo mundo de matéria que habitamos ao primeiro, o MUNDO RACIONAL, que deu origem a este através do Raciocínio. Eis aí, pois, a solução definitiva para o retorno à PLANÍCIE RACIONAL.

Entretanto, as vias de trânsito e de ligação existentes na vida dos humanos não se resume a essas duas. Há ainda uma terceira que aponta no sentido oposto e liga o mundo de matéria do animal Racional ao mundo dos bichos irracionais, que se encontra em pleno processo de construção por humanos inconscientes, sonâmbulos de olhos abertos, letárgicos mentais, obnubilados totais, incapazes de definir seu próprio eu. Essa ponte é projetada em forma de um plano inclinado descendente, para conduzir os animais de origem Racional diretamente ao mundo dos animais irracionais onde ficarão privados de seu Raciocínio, por mais sete eternidades.

Por essa razão está dito no Vademecum UNIVERSO EM DESENCANTO, que é dever de todo estudante de Cultura Racional, repassar os conhecimentos ali expostos aos seus irmãos para salvar-se e salvar o próximo. E continua afirmando: “O mérito do próprio vivente aumenta e tudo lhe cresce, tudo lhe reluz de bom e de bem para si. É conversando amavelmente que o vivente se entende. E por isso, é dever de todos, mui delicadamente, fazer a divulgação desta Obra em benefício próprio e de todos os viventes desse mundo”.

Aqui na matéria, um muro é um muro e uma ponte é uma ponte, duas coisas distintas e antagônicas. Quem constrói muros se isola ignorando que existe dentro de seu crânio um habitante proveniente do MUNDO RACIONAL, materializado em máquina do Raciocínio, e que assim permanecerá, estagnado e sem salvação. Quem constrói pontes se abre para novas perspectivas e possibilidades de progresso Racional, ao iniciar o processo de desmaterialização de seu Raciocínio na glândula Pineal para finalmente se tornar um IMUNIZADO RACIONAL. Por isso, irmãos, leiam, estudem e releiam a Obra UNIVERSO EM DESENCANTO, substituindo de vez o muro pela ponte, o pensamento pelo Raciocínio, e estabeleçam definitivamente o elo de ligação com sua Meta Final, o MUNDO RACIONAL, para se libertarem das forças magnéticas do mal e recuperarem a Vida Eterna como o ser Racional puro, limpo e perfeito que outrora foram.

 

(*) Texto em Inglês:

https://nalub7.wordpress.com/2016/04/19/the-bridge/

 

 

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em AUTOCONHECIMENTO, Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para A PONTE

  1. Pingback: THE BRIDGE | RACIOCINAR SEMPRE! PENSAR, NUNCA!

  2. Irmão Racional disse:

    Salve
    “Por isso mesmo, é necessário e urgente que cada qual, de imediato e por si mesmo, inicie a construção de uma nova ponte, porém com seus alicerces apoiados na base e na lógica da Energia Racional, para que possa ser conduzido em segurança deste segundo mundo que habitamos ao primeiro mundo de onde viemos há 21 eternidades. E para isso não necessitamos de engenheiros, projetistas, operários, calculistas, concreto e ferragens. Nosso projeto é muito mais simples e elevado, por ser um projeto que vem do Alto, do MUNDO RACIONAL. Basta ler o Manual de Instruções que descreve em detalhe e com fidelidade como construir esse elemento de ligação com nosso Mundo de Origem. Trata-se da Escrituração UNIVERSO EM DESENCANTO, ditada por DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, ao Senhor Manoel Jacintho Coelho, seu representante na Terra e impresso no Retiro Racional, que trás em seu conteúdo, a planta, o mapa e a bússola para orientar nossa libertação deste chão de matéria poluído e decadente e a decorrente transição através do espaço cósmico de volta ao Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.”
    Leia o Livro UNIVERSO EM DESENCANTO!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s