“-SE”

y1pI-fuO_50at5dxwP-6rqXhat_7Ty41RwOLW2TuiliTmOTle60tvu8PTsmpSjro937vIn2gmR8QYaU3sPTDH4rMw

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4FdcEdoQ1JueDZrZVk  (CLIQUE NO LINK PARA OUVIR  O ÁUDIO)

BAIXAR AUDIO

 (Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira, RJ.)

 (*)

Pronomes reflexivos são usados para indicar que a ação reflexiva recai sobre o próprio sujeito. Neste caso o pronome vem antes ou logo após o verbo e concorda com o próprio sujeito. Eis dois exemplos onde a ação do verbo recai sobre o próprio sujeito que a pratica e concorda com ele:

 – Pedro passou a se conhecer após ler a obra de Cultura Racional UNIVERSO EM DESENCANTO.

– Joana suicidou-se. Por desconhecer-se não suportou a ignorância e o sofrimento mundano da vida na matéria.

Caro amigo, se você ainda não é leitor de Cultura Racional, entenda que sua cabeça abriga um polvo de milhares de tentáculos conhecido pelo codinome “pensamento”, que lhe joga para cima e para baixo, para um lado e para o outro, torcendo, retorcendo e distorcendo suas ideias, tornando-as um baralho confuso com cartas boas predominando por algum tempo, e outras más, que também variam de um extremo ao outro todo o tempo. Você é o coringa enfiado em toda essa confusão. Não há equilíbrio, não há o certo, não há a perfeição. Só sofrimento.

Você pensa parado, pensa andando, pensa correndo.     

Você pensa acordado e você pensa dormindo. Você pensa que está pensando, mas também imagina que está pensando. Tanto faz, é a mesma coisa. Tudo é eletromagnetismo. Coisa de louco. Você pensa, pensa, pensa, para que? Para sofrer, sofrer, sofrer. Isso é o que se entende por lapidação; um sofrimento que atazana todo o tempo e não soluciona. E por não solucionar, outros e mais outros pensamentos sobrevêm, como vagas gigantescas em sequência em um oceano de problemas insolúveis.   

Você se torna um brinquedo do temível magnético, que lhe faz de gato e sapato e você simplesmente acredita, convicto, de que tudo é assim mesmo, que a vida é essa mesma, que sofrer é muito natural e que por isso todos sofrem sem exceção. Julgando, ainda por cima, que se o sofrimento é geral, então, tudo certo, vamos nos acomodar com a existência dele, aceitá-lo e aguardar a morte enquanto ela não vem, pois nem a hora da morte lhe é dada a certeza. Enfim, um inferno de vida.

Nada que é provisório, que é passageiro, que se transforma, que se acaba, está certo. Entretanto, esse tortuoso caminho é o único que está disponível ao vivente pela boníssima Graça Divina, para trilhá-lo e alcançar o certo, ou seja, o amadurecimento e o aperfeiçoamento para se chegar ao estado de pureza que outrora perdemos por havermos adentrado uma parte da Planície Racional que não estava pronta para progredir e em decorrência descemos junto com a planície até aqui às profundezas, onde nos encontramos materializados.  

E não resta outra alternativa senão que a do caminho acidentado do sofrimento, pois não há como um ser bruto, primitivo e atrasado possa galgar todas as etapas até a Elevação Racional Máxima sem passar pelos cursos de lapidação primário, secundário e Superior pré-determinados pelo MUNDO RACIONAL.

E que caminho é esse que nos leva de volta ao estado natural de pureza, limpeza e perfeição?

O trajeto organizado, orientado e comandado pela dona do pensamento fazendo de todos suas ferramentas, uns lapidando os outros, para que venham finalmente a conhecer o Raciocínio, onde está o certo, o rumo certo para o seu Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL. Onde há pensamento há sofrimento, desequilíbrio, incerteza e engambelo. Onde há Raciocínio, há verdade, alegria, certeza e equilíbrio.     

È preciso estar-se apto a entender, conhecer e discernir o significado e a diferença entre essas duas formas de comunicação: o Raciocínio e o pensamento. O segundo, atuando sob o jugo das energias elétrica e magnética, lapida o vivente inclementemente para acordá-lo do torpor da vida sonambúlica que leva, feita de aparências, e livrá-lo – ou ao menos tentar livrá-lo – de sua própria ignorância e de tudo mais deformado que se apresenta em sua vida.

Então pergunta o vivente: “Que vida se tudo acaba em morte? E que vida e que morte se ambas são elementos deformados de matéria na própria matéria?”

Pura ilusão! O vivente ainda não se deu conta de que está vivendo fora de seu estado natural. Essa é justamente a tarefa da dona do pensamento, a Natureza: alertá-lo de sua condição sabuja, rasteira em que vive na Terra e torná-lo mentalmente aberto o suficiente à nova informação que está chegando a ele e a todos, vinda do Altíssimo, através da Escrituração UNIVERSO EM DESENCANTO, Obra contendedora do Fluido Racional proveniente do Raciocínio Superior a todos os Raciocínios, o FLUIDO RACIONAL SUPERIOR, materializado na escrita desse Magnífico Livro-Deus.

Lendo e relendo essa portentosa Obra, o leitor passará a substituir pouco a pouco, sem ele mesmo perceber, o pensamento pelo Raciocínio à proporção que este se desenvolve em seu EU, inicialmente de forma lenta, natural e progressiva, e posteriormente, mais velozmente com o estreitamento dos laços de conexão com a Energia Racional, elevando-o com rapidez à condição de Aparelho Racional com a Vidência Racional plenamente desenvolvida.

Está aí, pois, a importância do pensamento, da lapidação e do sofrimento; a de possibilitar ao ser humano degradado, poluído e decaído voltar a Raciocinar e ao passar a se conhecer, retornar ao seu Mundo Original, o MUNDO RACIONAL. Por determinação do RACIONAL SUPERIOR, o momento certo e aprazado para dar-se início a Racionalização dos Povos é este, em plena fase Racional, visto que a fase do pensamento se extinguiu em 1935 e daí em diante a Fase do Raciocínio assumiu o comando e está em pleno vigor.

É chegada a hora de sabermos quem somos nós, por que pensamos, para que o pensamento foi feito, o porquê foi feito, qual o seu objetivo e quem lhe fez. Hora de sabermos por que vivemos em cima desse chão sem saber o porquê do chão. Hora de sair dessa ignorância acachapante,  deixarmos de olhar para a lama aqui do chão e elevarmos o olhar para a pureza lá do Alto.

O pensador pensa que o pensamento é um órgão de sua exclusiva propriedade, porque desconhece quem o fez para governar e lapidar todos: a dona do pensamento; a Natureza. É devido a essa ignorância crassa que o pensador sempre foi um sofredor. Já o Raciocínio significa a mudança deste mundo de matéria para o verdadeiro mundo, o mundo do estado natural de tudo e de todos, o estado de puros, limpos, perfeitos e eternos. 

O Raciocínio nunca teve seu valor devidamente avaliado pelo animal Racional devido à total ignorância e desconhecimento que predomina entre todos. Confundiam Raciocínio com pensamento, pensando que o Raciocínio estivesse em função na fase do pensamento, coisa que nunca ocorreu.

O animal Racional que vive sem se conhecer vive hoje tal qual um animal irracional sendo que pouco tempo lhe resta agora, para desenvolver o Raciocínio e ascender para o mundo de sua origem, a PLANÍCIE RACIONAL. Caso contrário será rebaixado para a condição inferior de bicho irracional, perdendo sua mais preciosa e única virtude aqui na matéria, que é a capacidade inata que ainda possui de desenvolver o Raciocínio e finalmente desmaterializar o Habitante do MUNDO RACIONAL que vive materializado dentro de si.  Isto significa ser submetido a mais sete eternidades de lapidação e sofrimento.

Então, fica a pergunta Racional no ar: já não bastam as outras 21 eternidades que vimos sofrendo até agora?

Pergunta-se então o estudante de Cultura Racional, um Aparelho já Racionalmente mais esclarecido sobre as condições de salvação que hoje prevalecem: “Iria eu jogar fora esse privilégio que me foi garantido pelo RACIONAL SUPERIOR através da leitura de sua Obra Magna? Iria eu me descartar da oportunidade de regressar brevemente para de onde eu vim puro, limpo e perfeito? Ou, sendo o mais claro ainda, iria eu me desfazer desse Conhecimento Supremo que é o Raciocínio, para tornar-me um bicho irracional igual aos nascidos bem depois de mim nesta terra decadente, nula de qualquer valor?”.  

Eis aí uma mensagem para aqueles que iniciam a leitura e o estudo de Cultura Racional e a abandonam para voltar para as coisas ilusórias e aparentes da vida na matéria atraídos pelo elétrico e magnético.

Algo sobre o que devemos refletir e Raciocinar para tirar conclusões Racionais: quem vive pensando morre pensando e repetirá o ciclo por mais sete eternidades. Quem vive lendo o Livro UNIVERSO EM DESENCANTO e Raciocinando sobre seu conteúdo, jamais morrerá, pois será reconduzido com todas as pompas e honras para seu Mundo Eterno, o MUNDO RACIONAL.

A DIVINA PROVIDÊNCIA providenciou a Energia Racional materializada no Livro UNIVERSO EM DESENCANTO para a salvação da Humanidade. O RACIONAL SUPERIOR materializou-se na pessoa do senhor Manoel Jacintho Coelho, nascido no Rio de Janeiro, antigo Distrito Federal, em 1903.

Ele trouxe ao conhecimento público a Cultura Racional em 1935, no Meyer, em um Centro Espírita chamado “Tenda Espírita Francisco de Assis”, vindo posteriormente a construir o Retiro Racional no subúrbio carioca de Nova Iguaçu onde instalou uma gráfica que produz essa grande Escrituração composta de mais de mil livros, a tábua de salvação da Humanidade!

Quem pensa não se conhece, portanto, caros amigos, desenvolvam o Raciocínio para poderem se conhecer, lendo, relendo, estudando e pesquisando a Obra Magna e transmitindo aos seus irmãos os conhecimentos que adquirirem na leitura. Fazer o bem não importa a quem e não desejar ao próximo aquilo que não desejas a ti, são os esteios para que haja a união e a paz entre todos. Eis aí o movimento de Racionalização dos Povos que se inicia através da União Racional. Eis aí chegada a Energia Racional na forma de Raciocínio, a energia do verdadeiro estado natural de todos.

Raciocínio : Racional  Racional : Raciocínio

Ou

Racional : Raciocínio  Raciocínio : Racional

Tanto faz como fez, tudo é Racional, tudo é Energia. Voltemos a sê-la.

SALVE!

 

(*)  Texto em Espanhol:

https://nalub7.wordpress.com/2016/07/11/se-2/

(*)  Texto em Inglês

https://nalub7.wordpress.com/2016/07/11/self/

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em AUTOCONHECIMENTO, Livros, Saúde e bem-estar e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para “-SE”

  1. nalub7 disse:

    SALVE, GILBERTO!
    O PENSAMENTO É A VOZ RENITENTE DO TORMENTO, UMA VOZ SEM TRÉGUAS, SEM LEME, SEM DIREÇÃO E SEM BASE. REALMENTE É A VOZ DO ABISMO, ATÉ QUE CAIA A FICHA DO VIVENTE E ELE PERCEBA QUE NUNCA VIVEU, POR ESTAR COMPLETAMENTE FORA DO SEU VERDADEIRO MUNDO NATURAL.
    BELÍSSIMO TEXTO! PARABÉNS!
    E GRATÍSSIMOS TODOS NÓS, SEUS IRMÃOS E IRMÃS, ESTUDANTES DE CULTURA RACIONAL!

    Curtir

  2. Pingback: “-SE” | RACIOCINAR SEMPRE! PENSAR, NUNCA!

  3. Pingback: “-SELF” | RACIOCINAR SEMPRE! PENSAR, NUNCA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s