A FUNÇÃO PREPONDERANTE DO PENSAMENTO NATURAL NA SALVAÇÃO DO ANIMAL RACIONAL – Parte 2

392141_2233929369487_1285503860_31817006_2106543657_n

https://drive.google.com/open?id=0B_Q1dy73C4Fdd05TbmVjTGZEYzA  (Clique no link para ouvir o áudio)

download whatsaap

(Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira, RJ)

7 – Desligado do Astral Superior, continua no curso primário do eletromagnetismo.

A dona do pensamento providencia então, inicialmente os pais, seus tutores iniciais, depois os professores e no decorrer de sua vida a interação com todos aqueles com quem se relacionará de alguma forma. Os integrantes dessa coletividade, agindo como ferramentas da dona do pensamento, vão se lapidando e lapidando uns aos outros, ao receberem em suas mentes tudo aquilo que a dona do pensamento julga conveniente transmitir para o desenvolvimento do pensamento através da lapidação.      

8 – E o que é lapidação

Lapidação é sofrimento puro! É tudo aquilo que o aprendiz necessita sofrer para aprender a desenvolver seu pensamento eletromagnético.

9 – Pensadores amadurecidos  e a mecânica do pensamento no relógio do pensador, que é a cabeça.

Há, entretanto, alguns exemplos que fazem exceção à regra, por já virem com o pensamento bem desenvolvido e amadurecido e que desde tenra infância aprendem tudo muito rapidamente a ponto de surpreender seus pais, colegas e professores, até mesmo corrigindo-os em casa e em classe. Esses já vêm prontos para desenvolver o pensamento natural e, a seguir, o raciocínio.

Para irradiar o que precisa que seja feito pelo vivente, a dona do pensamento fez um relógio, que é a cabeça do pensador, com sete ponteiros: boca, nariz, ouvidos e olhos.

O pensador quando recebe um pensamento enviado pela dona do pensamento, interpreta-o por meio do que ele vê, do que ele ouve, do odor ou do paladar que ele sente. É a transmissão de pensamento da dona do pensamento para a mente de sua ferramenta para lapidá-la.

É dessa forma que as pessoas aprendem inclusive a falar; através de verdades aparentes, sonhos, vaidades e fantasias visíveis e invisíveis, suavemente, naturalmente, de todas as maneiras e formas, por engambelos, passatempos provisórios, pois tudo na matéria tem princípio e tem fim. E assim vem ocorrendo, desde tempos remotos, com os primitivos ainda em estado de subdesenvolvimento, quando apenas conseguiam  aprender a emitir sons.

No caso do aprendizado da escrita, a dona do pensamento através da energia magnética, transmite a imagem de todas as letras, todas as palavras e todos os algarismos na imaginação do pensador, para que ele como ferramenta da Natureza, possa tornar realidade tudo o que é colocado em sua imaginação pela energia magnética.

Dessa transmissão derivam as invenções, as descobertas e muitos outros feitos, em obediência ao que determina a cadeia de comando: a dona do pensamento ordenando e a máquina do pensamento cumprindo à perfeição, porém sempre julgando que o pensamento e os feitos são seus, do pensador. E por isso, haja lapidação!

10 – Como surgiu o alfabeto artificial.

O alfabeto artificial foi fruto da desobediência e do transpasse dos limites naturais, mas esse alfabeto não foi criado pelos homens e, sim, pela natureza deformada (eletromagnética), fazendo dos seres humanos suas ferramentas para criação, como acima está descrito.

Esse alfabeto artificial criou a verdade aparente, que é a principal causadora dos problemas que assediam inapelavelmente o animal Racional, gerando confusões muitas vezes gratuitas, desentendimentos que quando generalizados via de regra produzem conflitos de menor ou maior gravidade, alguns chegando a desencadear guerras de grandes proporções entre nações.

Para atingir esse objetivo, a dona do pensamento condiciona no pensamento do vivente um fato determinante: que a verdade não é uma só e sim composta por uma infinidade de verdades, todas diferentes umas das outras.

E assim condicionado, o pensador faz prevalecer a desigualdade em tudo, o que acelera a degeneração, a deformação, a poluição, minguando até à extinção, como já ocorreu com muitas civilizações primitivas, muito mais antigas que os povos primitivos da civilização atual e das quais não restam quaisquer rastros, todas essencialmente materialistas, apologistas do artificial, onde as infinidades de verdades entram em conflito e levam à destruição.

E essas verdades aparentes, seguindo as ordens da dona do pensamento, se manifestam todo o tempo, nos mais variados modos, meios e formas.      

11 – Fase do Pensamento e Fase do Raciocínio: objetivos diferentes para uma finalidade comum.                                    

A fase do pensamento é a fase do preparo primário para a desmaterialização do Habitante do MUNDO RACIONAL que habita a glândula pineal do pensador, pois Raciocínio materializado não raciocina. Raciocínio só ocorre quando o Habitante se desmaterializa, toma a forma corpórea do seu verdadeiro estado natural e volta para o primeiro mundo, o MUNDO RACIONAL.

Não há comparativo possível de ser feito da fase do pensamento com a Fase Racional, pois, a fase do pensamento eletromagnético é para ligação de todos no chão, embaixo, para haver lapidação e sofrimento.

E a fase do Raciocínio, a Fase Racional, é para ligação de todos em cima, inicialmente no Astral Superior, para recuperação do animal Racional e, após, no Mundo Racional, para retorno ao seu verdadeiro mundo de origem, que é a eternidade.

12 – A responsabilidade da ação na Fase do Pensamento e na Fase Racional.

Mas, um fato notável e primordial da fase do pensamento é que a ação cabe exclusivamente à dona do pensamento, que faz do bicho Racional seu títere, seu brinquedo, enfim, faz dele o que bem entende sem que o bicho tenha a menor noção de que esteja sendo impiedosamente manipulado e lapidado pela dona do pensamento objetivando torná-lo desencantado da matéria, até que procure uma Cultura Superior para tirá-lo da nulidade da matéria. E no procurar, a Natureza vai colocar no caminho do vivente o que ele tanto procura: a Cultura Racional, a Cultura do Raciocínio.     

Encontrou a Cultura do Raciocínio, encontrou a Fase Racional! E aí a responsabilidade é outra; tudo depende exclusivamente do estudante de Cultura Racional e de seu interesse na leitura e releitura da Obra UNIVERSO EM DESENCANTO.

 

(A continuação na Parte 3)

 

Sobre nalub7

Uma pessoa cuja preocupação única é trabalhar em prol da verdadeira consciência humana, inclusive a própria, através do desenvolvimento do raciocínio, com base nas leis naturais que regem a natureza e que se encontram no contencioso da cultura natural da natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Esse post foi publicado em AUTOCONHECIMENTO, Livros, Saúde e bem-estar e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s